Total de visualizações de página

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

DA SÉRIE HISTÓRIAS JAMAIS CONTADAS, "ZÉ GATÃO E O GUARDIÃO DA MURALHA DOURADA".



Eu tive uma ideia certa vez para uma hq onde o Zé Gatão e mais dois felinos de porte, um leopardo e um puma, vão caçar um tesouro num monte situado num território cheio de animais hostis, lá eles se deparam com um gigante que é o guardião do templo. Uma história cheia de percalços e tragédias como é natural do meu perfil insano. Só que nunca botei sequer um texto no papel. O tempo passou e a ideia cristalizou. Mais uma das tantas nunca escritas nem desenhadas. 
Eu poderia colocar a culpa na falta de tempo, mas para falar a verdade não foi este o fator principal. Os que trabalham com histórias em quadrinhos no Brasil sabem como é difícil a coisa. Além de tarefa desgastante e pouco valorizada, esbarra-se sempre no paredão que é não ter onde ou como editar.
Hoje em dia muitos optam por  se auto- publicar ou disponibilizar suas obras pela internet. Nos dois casos o público se limita à sua tribo. Daí são os amigos que compram suas publicações autorais ou que acessam seu blog ou sei lá que ferramente a net tenha que abrigue o seu material. Isto não estimula a produção. Claro, menos mal que a web torne viável seu produto, mas o que faz a roda girar para o artista é o retorno financeiro. Lancei uma penca de quadrinhos e eles pouco ou nada me deram em troca. Por isto muita coisa eu aborto antes de sentar na prancheta, coisas que tomariam meses do meu tempo, ou até anos, como foi o caso de ZÉ  GATÃO-MEMENTO MORI, para depois ser ignorado pelo "público". 

Daquela ideia, que comentei a princípio só o que restou foi a imagem que vocês conferem hoje.


2 comentários:

  1. O desenho nos deixa com um gostinho de curiosidade desesperançosa, pois sei como é difícil produzir hqs. Você têm mais idéias boas que a média dos artistas brasileiros atuais, principalmente nessa área temática da aventura insana tipo universo do Zé Gatão. É uma pena.
    Grande abraço,

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo, obrigado pelas suas palavras elogiosas, isso dá um gás extra nestes tempos conturbados. Uma pena mesmo que eu não venha produzindo quadrinhos pelos últimos 15 anos, tinha muita coisa boa que ficou no limbo. Mas do que consegui tirar da cabeça e passar pro papel, ainda temos uma série de hqs eróticas (algumas inéditas) que o Franco de Rosa diz ter intenção de lançar em livro. Além de um projeto em estudo por uma editora de renome. Enquanto isto, aguardemos Zé Gatão-Daqui Para A Eternidade, a continuação de Memento Mori pela Devir.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir