Total de visualizações de página

sábado, 8 de outubro de 2016

LIRA DOS VINTE ANOS ( SEIS ).


Tem mais de uma semana que não faço a barba, provavelmente mais de uma semana, acho que dez dias, ela começa a pinicar. Não tem nada demais fazer a barba, levo de cinco a dez minutos na operação, mas dá uma preguiça danada fazer isto, é como cortar as unhas dos pés, acho um saco! Mas tem que ser feito, não posso parecer um homem das cavernas, a sociedade exige que eu esteja apresentável, embora eu não saiba exatamente porque.

O pior de fazer a barba é ter que olhar meu rosto diretamente no espelho, não gosto da minha cara, se eu encontrasse comigo mesmo na rua eu me daria um murro bem na boca, e diria: "Para de ser cuzão cara! Para com essas lamúrias, as pessoas vão pensar que cê tá muito mal e isto não é verdade! Para com essa auto piedade, não cola mais! E depois, quem liga? Todos tem problemas, uns tem câncer, outros tem loucos, alcoólatras, drogados na família! Outros ainda tem familiares na prisão! A vida é uma merda! Que mais podemos fazer senão aspirar o aroma bem fundo pra ver se o organismo se acostuma com o cheiro? Você deveria ter morrido a muitos anos atrás mas Deus te salvou, seja mais grato a Ele!"

Amados e amadas, eu juro que faria isso. Até porque sei que sou covarde demais para revidar minha própria porrada e acomodado o suficiente pra não ir à delegacia de polícia dar queixa de mim mesmo.

Mas me olhar no espelho continua sendo difícil.

Diante de mim tenho uma folha de papel com cores aquareladas preliminares sobre traços indeléveis a lápis. Devo esperar o papel estar mais seco para colocar outras camadas de cores, enquanto isto divido um pouco dos meus pensamentos com vocês, meus amigos e minhas amigas, afinal, isto não é uma espécie de diário?

No aparelho de som o Mark Knopfler canta sobre as Luzes de Taormina, há algo de divino na guitarra deste homem, algo que me toca ao ponto de chamar lágrimas aos meus olhos, ah, se um dia um desenho meu pudesse tocar alguém assim!

Apalpo a folha, já secou, isto significa que tenho que voltar ao trabalho. Na verdade eu queria me deitar numa rede e ler um bom livro, tenho montes aqui pacientemente me esperando, e também uns gibis legais que tenho que dar uma relida.

E queria comer uma bela fatia de bolo de chocolate com sorvete de creme, embora esteja gordo o suficiente.

Espero que gostem desta arte feita com pincel grosso para o poema do Álvares de Azevedo.

 




8 comentários:

  1. Ilustração bacana.

    Falando no vocalista do Dire Straits, acho Brother in Arms (a música) digna de um drama de guerra.

    Já cansei de sentir remorso e vergonha por coisas que falei e até pelo que não fiz.
    O que foi feito e dito, não tem mais volta. Mas corrigido... depende de quem quer resolver democraticamente e não como esses animais que vão pra protestos e estádios pra matar ou morrer.

    Comecei a participar do desafio INKTober no Facebook. Não é um concurso. É tipo uma brincadeira. Fiquei animado e inspirado pra desenhar coisas e personagens que nunca fiz ou em outras posições.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, Anderson, o Mark Knopfler é um dos grandes de todos os tempos, um músico e compositor excepcional! Um dos meus três guitarristas preferidos - os outros dois são David Gilmour (Pink Floyd) e Brian May (Queen).

      Diariamente dou uma passada no Facebook para checar mensagens in box e vi algumas artes deste INKTober, a proposta é mais que interessante, pena que não posso acompanhar o que está sendo feito. Poste suas artes no seu blog quando puder pra gente conferir.

      Excluir
  2. Peralá, Schloesser! Pincel? Quer dizer que esse desenho é uma pintura? Olha, da próxima vez que você disser que seus trabalhos são menos que lindos, eu mesma contrato a Vera pra te dar uns tapas. :) Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI, Carla!

      Neste desenho, ao invés de usar caneta nanquim ou bico de pena, eu usei um pincel de ponta grossa, molhei a ponta do pincel no nanquim e finalizei. Eu agradeço demais o seu carinho e admiração (não precisa contratar a Vera pra me bater, sei o valor que a minha arte tem, mas podia ser melhor).

      Grande abraço, minha amiga!

      Excluir
  3. oh Eduardo, suas fotos precisa de ninguém .Você são lindas. Beleza triste apaixonado sensual. Vá para fora a eles o prazer de apresentar! As pessoas hoje estão mudos e cegos para a arte. Eles precisam acordar Eduardo !!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras gentis, Mira! Entendi o que quis dizer, mas arte hoje se tornou muito comercial, tem que vender produtos. Apresentar o que faço a um público estrangeiro talvez não seja muito diferente do que é aqui no Brasil. Mas se tiver a chance eu vou tentar.

      Kiss.

      Excluir
  4. Esta é a mesma em todo o mundo. Apenas lembre-se que você ainda pode fazer o trabalho para o qual você nasce. Nem todos têm a sorte. Então - de lata ao menos agradável para dedicar-se rapidamente a agradável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mira, eu tento fazer com que meu trabalho seja divertido para mim tanto quanto possível. Nem sempre é possível, mas faço o melhor que posso.

      Excluir