Total de visualizações de página

domingo, 24 de abril de 2016

DESENHANDO ANATOMIA - CABEÇA E TRONCO. Meu novo livro.



Meu mais recente livro já está a venda nas livrarias e espaços relacionados à arte. Trata-se de um tomo dedicado ao estudo da anatomia da cabeça e do tronco. Como não é um compêndio de medicina não nos aprofundamos tanto, mas tem dicas legais para se conhecer músculos, ossos e proporções.


Essa nova leva de livros, cujo o primeiro é esse, tem um pequeno diferencial em relação aos anteriores, procurei deixar o texto menos formal, ou seja, ao invés de ficar citando que o tronco tem tantas cabeças de comprimento e coisas do tipo (calma, tem isso também!) achei mais legal narrar minhas experiências e motivações no mundo da arte, é quase uma biografia onde cito fatos que me empurraram até onde cheguei, tudo de forma leve e didática, que fique claro. Optei por elaborá-los assim por estar de saco cheio de todas aquelas coisas técnicas chatas onde a verborragia do autor confunde mais que ensina; na verdade o aluno aprende mesmo é fazendo e fazendo e fazendo, suando a camisa, toda retórica serve bem pouco, eu diria. Quando me caiu nas mãos aquele lendário livro do Jaime Cortez (na verdade, o único que tive acesso na vida) chamado, se não me engano, A ARTE DO DESENHO, eu nem quis saber do que ele falava, queria logo copiar os desenhos que lá estavam, as instruções, tipo, qual a distância de um olho para outro, já vinham especificadas nas ilustrações. Aliás, aquele livro nem tinha muito texto, o Cortez foi esperto nesse ponto, devia saber que esse ofício, que requer disciplina, se aprende de fato na prática e a experiência vem com o tempo.


Muitos anos mais tarde eu tive meios de me aprimorar com os livros do Burne Hogarth e outros, acrescentaram muito pouco, nos do Hogarth haviam sempre uma introdução rotunda e depois muitos desenhos e poucas palavras mostrando seu modus operandi - o que era legal - mas eu sentia falta de saber do(s) autor(es) quais foram as situações que o(s) impeliram a fazer as coisas daquela forma.


Durante os anos 1990, quando eu trabalhei numa banca de jornal em São Paulo, eu colecionei muitos cards de ilustradores e quadrinistas e no verso de cada figurinha o autor relatava porque aquela arte foi criada daquela forma e para quem. Não eram todos na verdade, mas o pouco que fiquei sabendo, para mim foram de muito mais valia do que toda conversa sobre misturas de tintas.


É verdade que eu tinha que me ater às regras da editora e não podia escrever demais para não sair do assunto anatomia, mas algo da minha alma está impressa neste livro, principalmente nos traços. Dá pra reconhecer que foi feito por mim.


Como adquirir? É só ir no Google e acessar o site da Comix e procurar a página de desenho e pintura ou ir para o site do ArtCamargo. Lembrando que também pode ser encontrado nas livrarias Saraiva e Cultura.


Beijos a todos e se Deus quiser nos encontramos de novo na próxima semana.




10 comentários:

  1. Parabéns pelo lançamento do novo livro.
    Realmente, excesso de explicações técnicas deixaria maçante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Anderson!

      Tentei mesmo deixá-lo menos formal, ficou um ótimo trabalho.

      Abraço.

      Excluir
  2. Esse livro ficou lindo, Schloesser! Uma perguntinha: na hora de desenhar, você pensa na teoria ou todo esse negócio de proporção e coisa e tal já sai no automático? Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sai no automático, Carla. Já conheço bem a anatomia do corpo para ter boa segurança no que vou ensinar. Mas antes de elaborar um livro penso antes nele, como abordarei o assunto e de que forma. Uso algumas referência visuais quando necessário e também dou uma espiada em mestres do passado para me certificar se não cometi algum engano, essas coisas.
      Obrigado pelas palavras!

      Excluir
  3. Esse ficou show mesmo, Eduardo! Dá pra ver pelo que postou que o que conta mesmo são as imagens na hora de aprender desenho. E treinar, claro. Estou sempre falando isso pra garotada aqui, mas às vezes(boa parte do tempo) é frustrante. Muitos parecem esperar alguma iluminação...Parabéns e ótima semana aí! Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A experiência para mim ditou as regras, Gilberto. Só mesmo muito treino´e perseverança faz o artista amadurecer na arte. Isto leva tempo e nem todo mundo tem paciência, é como o cara que entra numa academia e em pouco tempo que ter um corpo de mister universo, ou o cara que começa a correr e já quer disputar uma maratona, daí usam drogas para melhorar a performance e se lascam todos. Na arte o cara procura atalhos, imita tal fulano, decalca desenho e assina como se fosse dele a criação, depois se frustra e muitas vezes abandona. Tanto assim que muitos tem o chamado talento natural mas não desenvolve, llarga de mão. Tenho observado que na vida, só os fortes e determinados, que não choramingam nas quedas é que vencem, conquistam o sonho. Dinheiro é outra coisa (ele vem e vai), realização pessoal é outra, esta, não tem ouro que compre. A gente deve seguir tentando.
      Sobre palavras e imagens, elas devem vir equilibradas, mas (falo por mim) aprendi muito mais ouvindo uma experiência pessoal do que aqueles textos do tipo que fala que o tronco tem tantas cabeças de comprimento e talz, até porque notei que na prática isto tudo é um tanto relativo.
      Legal te ver por aqui, apareça sempre.
      Obrigado e um abraço!

      Excluir
  4. Parabéns por mais um trabalho concluído e publicado, Eduardo! Espero que venda muito bem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Everton, também espero que tenha boas vendas, mas acho que vai ter, já notei que minhas instruções de desenhos são mais bem aceitas que meus quadrinhos.

      Excluir
  5. Parabéns pelos seus livros, tenho quase todos e amo de paixão eles, você me inspirou a desenhar e não desistir.
    Adoro seus livros porque são super práticos e ao mesmo tempo detalhados, só queria saber suaa redes sociais como instagram. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari, comecei bem meu dia hoje, abri meu notebook e dei de cara com este seu comentário. A vida de quem vive de arte no Brasil é um tanto sofrida e uma das coisas que fazem ela valer a pena é ler/ouvir palavras como as suas e saber que meus livros tem ajudado a formar novos artistas. Muito obrigado mesmo!
      Sobre redes sociais eu não tenho Instagram, só possuo página no Facebook (aliás, duas, uma delas é gerenciada pela Editora Criativo), na verdade não tenho muito tempo para administrar essas redes, postar desenhos, renovar artes e talz, concluindo: não passo de um dinossauro. Mal tenho tido tempo de atualizar este blog. Me procure no Face ou Pinterest, tenho dois álbuns de desenhos nesse lugares que você pode gostar de ver.
      Um beijo e muito sucesso para você.

      Excluir