Total de visualizações de página

domingo, 22 de janeiro de 2017

TUDO PASSA. TUDO PASSARÁ.


Eu já tentei ter uma boa visão de mim mesmo. Juro. Não consigo. Tento não me encarar no espelho e muito menos pensar a respeito. Não é que eu me ache exatamente feio, é mais como se eu não aceitasse a minha fisionomia, algumas expressões me soam como imbecis demais, a face de um retardado. Não sei dizer a razão mas isto vem de muito tempo, quando menino eu tirava fotos (o que era raro, fotos não eram como hoje) e não conseguia me olhar nelas, eu queria ter os olhos diferentes, outro nariz, outra boca. Eu lembro que meus primos sempre me zoavam, dos pés à cabeça, não sei se isto contribuiu de alguma forma para esta auto aversão à minha pessoa. Se eu pudesse usaria uma máscara quando fosse para a rua, quem sabe assim a tristeza que as vezes me alcança e me abraça apertado, não me encontrasse.
Minha voz é outra coisa que não suporto ouvir fora da minha cabeça. Os doutores devem ter um nome para esta patologia. Agora que vou ficando velho isto já não importa mais.

Mas mesmo assim já tive meus amores, belas garotas já estiveram em meus braços. O amor sempre sangrou meu coração e deixou cicatrizes, isto nunca foi fácil para mim, sempre tive medo de me envolver além da conta e perder o controle da situação, e geralmente eu perdia, eu sempre terminava chorando. O Bukowski definiu o amor como um cão dos diabos, acho que confere.

Mas sabem, se não fossem estas experiências talvez o Zé Gatão nunca tivesse sido criado.

E falando nele, a campanha no Catarse para a republicação do álbum editado pela PADA não vingou. Eu diria que foi um fracasso monumental apesar do esforço hercúleo do amigão Leonardo Santana (roteirista de quadrinhos e membro da PADA) e da querida Mira Werner em divulgar diuturnamente o projeto.
Na verdade não foi surpresa, eu imaginava que não fosse dar certo, mas pensei que pelo menos chegaríamos perto de 50%. Qual o quê!
Isto só vem provar que meu universo antropomorfo cheio de ultra violência temperado com filosofia de boteco não é mesmo popular. É uma pena pra mim que não poderei mais produzir HQs de Zé Gatão para um público mais amplo.


Mas vamos em frente. Eu continuo produzindo quadrinhos encomendados e capas para livros. Não posso me queixar e só tenho a agradecer a Deus.

Os rabiscos de hoje são sketches que faço nos álbuns do felino.

Beijos a todos.












10 comentários:

  1. Pena que a campanha no Catarse não vingou, Schloesser! Já vi outros projetos muito bons que também não deram certo. Vá entender os leitores atuais! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha amiga Carla, muito obrigado pelas palavras.
      Como eu disse, seria surpresa se tivesse vingado, só não pensei que o número de apoiadores fosse tão pequeno. C´est la vie.

      A batalha continua.

      Abraço.

      Excluir
  2. Recebi o e-mail confirmando a devolução do dinheiro do Catarse e vim conferir se vc havia falado algo sobre isso, Schloesser. Realmente uma pena! Melhor sorte com as editoras, então. Eu mesmo tenho uma certa vontade de, um dia, experimentar algo como o Catarse, mas não sei se o faria. Acho que eu também não conseguiria (e olha que seu personagem já é conhecido e tem história!). Realmente, a vida gosta de nos pregar peças amargas, não? Também tenho um gato como personagem e sofredor e, ultimamente, tenho sentido vontade de mostrar uma pequena HQ sobre derrota que fiz com ele. Quem sabe o faça.
    Tudo de bom pra vc e o felino cinzento, Eduardo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Everton, a história do Zé Gatão é triste até na vida real, eu diria. Fracassei retumbantemente em torná-lo popular, segui a trilha mais difícil, mesclando vários elementos em uma narrativa com seres fantásticos inserindo meus fantasmas para dar tempero. talvez eu não seja tão bom contador de histórias assim, talvez o público médio não seja tão inteligente quanto pensa. Sei lá. O fato é que o financiamento coletivo teria sido uma saída para o problema de futuras publicações. Não vou me arriscar de novo e editoras estão fora de questão neste momento. Acho que o álbum DAQUI PARA A ETERNIDADE foi mesmo o último.
      Mas estou com umas ideias aqui. Pode ser que o panorama mude no futuro. Não sei. Por hora é só isto o que temos.

      Obrigado pelos votos e vamos em frente.

      Excluir
  3. Oh my dear friend. Firstly, you're not ugly - stop insulting my friend !!!! The campaign was not successful but it is annoying and it is not a sunset. Have patience, or the success comes. One advantage had this campaign. Now you know where your true friends are. Do not be sad you're not alone.Bigest hugs and kisses

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mira Werner, you're one of the sweetest and kindest people I've ever had the pleasure to meet, thank you very much for your encouragement and disclosure although I do not deserve it.
      As for my self image, it is not about being beautiful or ugly, I could have a beautiful face and still not like what I see in the mirror. Self acceptance is still a problem for me, and I do not even know if I have a solution, I'm already old. But being like this does not pose a problem in my life. We are what we are.

      The campaign was good, not to reveal my true friends, but to get away from the fantasy that the character I created has commercial value. There is not. I accept that and move on.

      Yes, I am not alone, God is with me and I know that my family and friends like you support me.

      God bless you.

      Excluir
  4. Grande Eduardo Belos rabiscos! pra mim é coisa de mestre... lendo sua postagem não pude não deixar de comentar :) , confesso que já por muito tempo senti algo assim de mim um tipo de intolerância por minha aparencia ou sei lá fato esse que sempre me fez fugir de fotos :) e que já me prejudicou muito na minha vida pessoal, mas que enfim a vida vai seguindo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por seu comentário, Fabio! Sabe, eu quase vomito quando vejo uma foto ou vídeo meu, nem sei como me casei, acho que nunca vou ficar curado disso, desse complexo, se eu pudesse andava com um saco na cabeça. Acho que tem a ver com traumas de infância, quando você não se sente amado pelas pessoas. Bem, eu nada posso fazer a respeito, a não ser evitar os espelhos.
      Grande abraço.

      Excluir
    2. Oh guys. Men are those who look at outward appearances. We women love our men for their mental qualities. Even for the negative ones. And our eyes see our beloved only as the most beautiful, wisest and best in the world. You should keep that in mind.

      Excluir
    3. Dear Mira, it is not possible to be sad and down with a comment as positive as yours. I thank you and if you may say so, your husband is a very lucky man!

      A big hug!

      Excluir