Total de visualizações de página

domingo, 5 de março de 2017

ZÉ GATÃO - O FOSSO.


Tudo relativo ao personagem Zé Gatão está parado, suspenso, congelado.
Um motivo para isto (o principal) é que não tenho tempo para produzir material novo, seja um conto, uma arte e muito menos uma HQ. E também, com o total descaso do público em relação ao último livro (ZÉ GATÃO - DAQUI PARA A ETERNIDADE) e o fiasco da campanha para a republicação daquele especial PADA, confesso que fiquei desmotivado. Queimar os neurônios numa nova saga cheia de ação e banhos de sangue (como pretendo que seja a próxima aventura - já tenho o roteiro completo pronto) para depois levar anos para publicar, e quando o fizer, não ver a coisa decolar, desanima um bocado.

Contraditoriamente, eu tenho muita vontade de criar novas aventuras, possuo várias ideias forçando a porta da minha cabeça querendo sair. Três histórias mais longas, pelo menos, eu vou me esforçar para colocar no papel. Para vocês terem uma ideia, existe um álbum de hqs curtas do gato - 80% delas são inéditas, as restantes já deram as caras na web - tá prontinho faz uns bons anos. Quem sabe não lançam postumamente?

Uso o personagem como forma de desabafo, como um comprimido contra a depressão ou (mais de acordo) um laxante. Com  ele e seu universo violento eu posso contar vários tipos de histórias, que vão do puro escapismo ao que costumo chamar de forma bem pretensiosa de existencialista.


A arte de hoje foi elaborada a pedido do lendário editor e amigo, Leandro Luigi Del Manto para um card game. É quase uma releitura de uma obra do mestre Caravaggio, na qual me inspirei.

Esta seria uma das aventuras escapistas que nunca foram para o papel. Neste tipo de narrativa eu imagino o felino taciturno como um herói pulp, um explorador, num estilo Doc Savage, sempre com a camisa rasgada, enfrentando mil perigos.

Tenho vários esboços para pinturas descompromissadas como esta, aos poucos vou dando vida a elas, enquanto não consigo voltar a trabalhar nos meus saudosos quadrinhos.

Fui.

8 comentários:

  1. Bom dia em nova semana meu amigo. Hoje, estou muito satisfeito. Obrigado. Sou paciente. Agora, se eu sei que Zé Gatão com novas histórias vêm estou feliz. Graças Eduardo. Você faz os seus fãs e fãs felizes pelo grande gato. Muitos abraços e beijo
    💗💗💗💗💗

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vou tentar manter o Zé Gatão na ativa enquanto for possível, Mira, nem que seja em ilustrações como a que vimos neste post. Muito obrigado pelas suas palavras, carinho e divulgação.

      Forte abraço!

      Excluir
  2. Hei, explica melhor essa história de card game, Schloesser! O desenho ficou incrível! E mostra a obra na qual se inspirou. Daria um post bem legal. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Carla! Você é sempre muito gentil.
      Olha, na verdade nem eu sei explicar bem o que é essa história de card game, senão eu teria detalhado na postagem. Me encomendaram um desenho (tema a minha escolha) para um card game. Recebi por ele e nunca mais falaram nada. Não sei se a coisa não foi pra frente ou se ainda será publicado algo neste sentido. A arte tava guardada e pedi permissão ao Leandro para trazer a público e ele deu. Só isto.

      Grande abraço!

      Excluir

  3. Meu brother de infância, Luca Fiuza, deixou este comentário em meu e-mail, achei tão pertinente que achei por bem torná-lo público aqui, espero que meu velho amigo não se importe:
    "O felino taciturno e você, seu criador, encontraram um nicho perpétuo nos nossos corações. Nós que somos poucos. Porém, somos verdadeiros fãs do Grande Gato e de suas desventuras no violento, opressivo e às vezes singelo Universo Antropomorfo. Somado a isto e mais importante é que você quer e sei que conseguirá criar novos trabalhos dele sejam em HQ, contos ou ilustrações no seu devido tempo. Embora ele seja muito pouco conhecido no meio editorial, que não esteja sendo lançado em mais álbuns, em Gibis, em camisetas e bonecos...como até seria justo...ainda assim ele deu seu recado e fez suas conquistas! Não importa a dimensão. Saiu em cinco álbuns suados! Ah, não conheço esse tal de Zé Gatão! Ora, quem quiser maior contato com ele é só procurar nas livrarias, nos sites ou contatar você. Pode visitar o Facebook ou o Blog. Os meios estão todos aí como nunca antes neste país! Não gerou interesse suficiente? Risco que todo autor/toda autora/artista corre. É...! Não foi como deveria, mas simplesmente o felino no fim das contas, não passou em brancas nuvens e chama a atenção de quem gostou do personagem e de sua proposta. Não dá dinheiro! Parece que é para o gato e seu criador viverem sempre no limite! Talvez seja esta característica que justamente mantém a ambos ativos. Podia ser melhor? Devia! Mesmo assim, Eduardo e Zé Gatão sobrevivem, pois é da natureza deles não se deixar matar assim tão simplesmente.

    Luca."

    Eu agradeço as palavras, carinho e torcida para que eu supere estas barreiras, meu caro amigo.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. Eduardo eu sei que não é oportuno falar disso ... mas você já pensou em tentar fazer historias em quadrinhos para as grandes editoras americanas e pelo menos " tentar " escrever e desenhar personagens famosos como O Hulk , Wolverine , Capitão America , os X-Men , os Vingadores , os Defensores , Motoqueiro Fantasma , Guardiões da Galaxia ou Batman , Superman , Liga da Justiça , Novos Titãs , Liga da Justiça Sombria , Frankenstein Agente da S.O.M.B.R.A. , Monstro do Pantano , Hellblazer - John Constantine , Lobo , Aquaman , Tropa dos Lanternas Verdes ou se você não estiver definitivamente a fim de desenhar super-heróis Hellboy , Conan O Bárbaro , Sonja a Guerreira , Tartarugas Ninja ( a serie de quadrinhos com grandes doses de violência e humor negro ) , Rei Kull , Salomão Kane ( O Personagem criado por Robert E. Howard em 1928 não o filme ) etc . Sejamos honestos Eduardo ... falar de quadrinhos no Brasil é falar no ridiculo . Os autores que tem coragem , empenho , dedicação e afinco de tentar publicar material com quadrinhos nacionais não tem apoio nenhum de ninguém o publico quando perguntado " Você conhece o Raio Negro ? O Lobo Guará ? O Cometa ? O Meteroro ? O Redentor ? O Lagarto Negro ? Os Protetores da Existência na Terra ("P.E.T.") ? " simplesmente olha para você e responde " QUEM ??? " dos quadrinhos nacionais não existe incentivo nenhum a nossos artistas tentarem publicar historias em quadrinhos aqui no Brasil por isso mesmo todos são forçados a trabalharem nas grandes editoras americanas pois simplesmente não existe trabalho para nossos artistas nem editoras nacionais dispostas a emprega-los . Fora a Turma da Mônica de Mauricio de Souza não temos mais nenhum grande artista trabalhando para fazer historias em quadrinhos aqui no Brasil simplesmente porque não existe industria nem editoras interessadas em fazer quadrinhos . Quando surge alguém que tenta escrever revistas em quadrinhos ele raramente passa dos 3 primeiros numeros de sua revista porque aqui as editoras querem que as revistas lhes deem lucro imediatamente , querem que vendam tanto quanto a revista Action Comics #1 e não existe mais revista que seja um sucesso instantaneo de vendas , não existe revista que venda mais de 1 bilhão de exemplares logo no primeiro numero , não existe mais revista que seja sucesso de publico e critica automatico no Brasil . Outra coisa não existe sequer aqui no País apoio e incentivo aqueles que desejem se tornar artistas de quadrinhos de super-heróis .

    ResponderExcluir
  5. Se você entrar numa escola de desenho e perguntar se existe aula de desenho de historias em quadrinhos vão rir na sua cara porque simplesmente não existe essa diciplina na maioria das escolas de desenho justamente por isso a maioria dos artistas brasileiros de quadrinhos são autodidatas e aprenderam a desenhar por si mesmos muitas vezes tendo que fazer trabalhos nada dignos . Um artista talentoso viver de sua própria arte aqui no Brasil é dificilimo ainda mais quando trabalha com um personagem antro porque a Internet conseguiu arruinar com a reputação de personagens Homens e Mulheres Feras . Veja aquela porcaria de site o furaffinity que é a maior comunidade dedicada a desenhos de " gays " , " lesbicas " , " bissexuais " , " transexuais " ou de temas como " incesto " , " pedofilia " , " bondage " , " vore " , " gore " etc ? Por causa de sites como aquele personagens homens e mulheres feras hoje em dia são vistos com o gelo do desprezo e da repulsa e as pessoas tem evitado cada vez mais usar antros como personagens . De 2000 para cá quantos novos personagens antros relevantes surgiram nos quadrinhos como membros de super-equipes famosas ? E é justamente ai que eu quero chegar Eduardo . Você tem que viver , tem que trabalhar , tem que pagar suas contas todo mês mas um artista tão maravilhoso quanto você merece ser reconhecido pelo legitimo talento artistico que possui e por isso deveria ao menos tentar vender seu peixe para as grandes editoras já que aqui no Brasil um bom artista raramente é reconhecido então por que você não procura tentar conseguir arrumar empregos escrevendo e desenhando os personagens de grandes editoras ? De repente você conseguiria publicar Zê Gatão lá fora e lá sim ele faria sucesso ! Enfim Eduardo eu compreendo como se sente . Todo artista após batalhar , lutar fazer das tripas coração para publicar seu personagem quer ser reconhecido e quer que as pessoas respeitem o imenso sacrificio que ele fez para publicar seu personagem . Porem eu não acho que dê para fazer isso aqui no Brasil . Então ao menos considere essa ideia . Você é um artista fabuloso Eduardo e Zê Gatão um personagem fantastico então eu penso que deveria tentar pensar na possibilidade de trabalhar nas grandes editoras para quem sabe publicar Zê Gatão no exterior ? Grato pela atenção . Grande Abraço .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro Alexis, muitíssimo obrigado pela sua mensagem. Como posso retribuir tamanha atenção?
      A resposta às suas questões não são fáceis de replicar.

      Bem, você listou um bom número de títulos de editoras mainstream. Coisas que já curti muito ler no passado. Acredite, eu já tentei o mercado externo de quadrinhos duas vezes, sem o menor sucesso. A resposta que me deram foi a de que meu traço é estilizado demais, pesado demais, caricato demais. Tentei outras abordagens e também não funcionou, cheguei até a pensar que meu trabalho não prestava.

      Claro, os tempos hoje são outros, hoje o artista já não precisa de agentes para publicar seus trabalhos no exterior, mas no fim das contas, mesmo que consiga publicar sem intermediários, eles são importantes para não ser passado para trás e receber devidamente. Mas mesmo que eu não dê atenção a isto ainda esbarro num grande problema: não domino o inglês, o Google Tradutor não é uma ferramenta plenamente eficaz. Os mercados de fora também estão sofrendo de saturação, tudo encolheu muito, principalmente o europeu. Sabe, se o Blacksad faz sucesso na França eu acho que o Zé Gatão poderia ser bem recebido lá fora, apesar de ser uma temática totalmente diferente e meu traço ser um tanto underground.

      Não conheço nada sobre os personagens antros citados por você, mas é lamentável que sejam usados em hqs deste tipo que você falou.

      Da minha parte não tenho a menor vontade de trabalhar com heróis, a chama em mim já se apagou faz tempo. Contudo Hellboy e Conan (e outras crias do REH) eu adoraria fazer (desenhar e escrever então seria um sonho!).

      O destino não está traçado (pelo menos, assim penso) então tudo pode acontecer de uma hora pra outra.

      Mas posso ser bem sincero com você? Eu estou muito cansado disso tudo. Não dos quadrinhos e das ilustrações em geral, mas de tudo o que envolve este meio. Só protagonizando ou testemunhando certos fatos para saber. Estou esgotado física e mentalmente, por isto, os meus constantes desabafos aqui no blog. Fico meio sem gás para sacudir a poeira e dar a volta por cima, tentar novamente um contato com editores gringos.

      Mas vou fazer este esforço novamente.

      Espero ter boas notícias aqui no blog sobre este assunto.

      De resto, tudo o que você falou sobre o pseudo mercado de quadrinhos no Brasil é a mais pura verdade, você conhece bem as engrenagens da máquina!

      Agradeço demais seu incentivo, elogios e sua preocupação comigo, meu caro.

      Grande abraço e que Deus te abençoe.

      Excluir