Total de visualizações de página

terça-feira, 28 de outubro de 2014

VOLTANDO ATRÁS.





Já escrevi sobre meu álbum intitulado Phobos e Deimos aqui no blog, se quiserem ler um pouco a respeito dele e ver umas imagens é só dar uma conferida no link:  http://eduardoschloesser.blogspot.com.br/2010/06/phobos-e-deimos.html  

Assim como os outros álbuns que criei, este também é a manifestação das minhas insatisfações, é fúria pura. Amargo e desesperançoso, reflete bem o que eu sentia no período que o criei. Visualmente não tem nada a ver como o universo antropomorfo de Zé Gatão.

Ficou guardado na minha gaveta por quase 10 anos e ao longo deste tempo mostrei fragmentos dele para algumas editoras e sequer recebi retorno, a HQM se interessou e ficou de publicar, mas depois de mais de um ano de indecisão resolveram desistir. Normal, a situação não está boa pra ninguém e não convém se arriscar a por na praça um livro, digamos, "duvidoso". E por falar em situação ruim acho que vai piorar mais daqui pra frente.

Chega no cenário uma nova editora, chama-se MINO, pelo pouco que vi dela no Facebook parece que vão lançar uns materiais nacionais muito expressivos, coisa boa mesmo! 
Entrei em contato. Pediram pra eu enviar imagens do livro para dar uma analizada. Ok.
Selecionei 10 páginas de cada história, escrevi minha defesa do projeto e enquanto as imagens carregavam no e-mail, aproveitei para ler uma entrevista que fizeram com os editores. Caso queiram ler também o link é este: 

http://www.oesquema.com.br/vitralizado/2014/10/17/editora-mino-e-o-festival-de-bandas-punk-que-e-o-mercado-brasileiro-de-quadrinhos/

Legal demais a ideia de pegar autores ainda sem os "ranços" profissionais, entendi que é meio que exibir um diamante ainda em estado bruto, gosto dessa ousadia, a falta de refinamento muitas vezes trás o que o artista tem de autêntico. 

Seguindo na leitura, num determinado ponto, algo inesplicável me bateu, não sei dizer o que era. Imediatamente interrompi o carregamento das imagens e joguei na lixeira a mensagem que tinha escrito. Desisti de enviar o Material pra Mino. Sei lá, não é pra mim, não faço parte disso, não poderia. Não saberia explicar mas Phobos e Deimos não seria aceito. 
Estive já em muitos festivais de quadrinhos e em todos eles me senti um corpo estranho, eu não pertencia àquele meio, mesmo produzindo hqs, tive a mesma sensação ao ler a entrevista com a editora.   

No fundo, sinto que Phobos é algo que eu mesmo deva fazer, como o meu primeiro Zé Gatão. Sei que algumas imagens soarão agressivas aos olhos incautos, principalmente as de sexo. Ainda há muita resistencia a certos temas e uma editora não se arriscaria, assim como fez a HQM (e olhem que o editor da HQM é meu chapa!). 

Quando vendo meu primeiro Ze Gatão hoje, eu aviso ao comprador o que ele vai encontrar na obra. Creio que eu tenha que fazer o mesmo com Phobos e Deimos. Como colocarei na praça? Não sei. O ideal seria eu mesmo pagar uma tiragem baixa, mas não disponho de recursos, por mais que as condições para auto-publicação sejam acessíveis hoje em dia. Financiamento coletivo? É uma opção, mas só usaria como último recurso. Veremos. Espero que eu não leve outros 10 anos para retirar essas velhas e já amareladas histórias da gaveta.

As artes de hoje foram feitas para um livro infantil.

Aperto de mãos para os amados e um cheiro gostoso para as amadas. 



2 comentários:

  1. Oi, Schloesser! É a primeira vez que vejo desenhos seus destinados às crianças. Que máximo! Os animais têm expressão. Aquele pato (ou ganso - não sei a diferença nem nos de verdade) parece bem zangado. Quanto a sua decisão sobre a HQ, preciso respeitar porque você conhece esse mercado bem melhor do que eu. Vou ficar torcendo para que a publicação saia da melhor forma possível. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você ainda não tinha visto meus traços infantis, Carla, porque veio conhecer meu blog a não muito tempo mas outras ilustrações do tipo já foram postadas aqui. Já houve quem afirmasse que meus desenhos para a petizada tem um "Q" de adulto. Não concordo, acho que a meninada curte, tem expressividade, só não faço as imagens fofinhas, mas de fato, esta não é a minha praia, mas gosto de pensar que sou versátil.

      Quanto a ter desistido de enviar o material para a nova editora, tem muito a ver com minha síndrome de rejeição, não sei explicar direito, mas tem discurso que não anima, apostam no novo, no material expressivo, mais underground e tudo mais, mas são cheios de poréns. Sei que não dei a eles a chance de aprovarem ou reprovarem, mas acho que Phobos e Deimos é algo que eu mesmo deva publicar. Vamos ver.

      Muito obrigado e um forte abraço.

      Ah, sim, quando desenhei eu pensei num ganso. Eles são sempre mau humorados no meu parecer.

      Excluir