Total de visualizações de página

domingo, 9 de abril de 2017

O VELHO ALQUEBRADO E UMAS IMAGENS DE UM LIVRO INFANTIL.







 Quem vos escreve aqui é um homem com uma baita dor nas costas, especificamente na região lombar. Na sexta feita este velho idiota foi depositar um objeto bem pesado no chão e sentiu um choque no cóccix. Aí travou tudo. Eu nem descia e nem subia o tronco, Como não sou de pedir água, trinquei os dentes, apoiei as mãos nos joelhos e lutando contra a gravidade, fiquei ereto. Eu sabia o que iria sofrer pelas horas e dias seguintes. Tomei o último Tandrilax e fui à rua pois precisávamos de leite em casa. Na ida e volta do mercado eu andava com se tivesse uns 200 anos mal vividos. Mancando, como se algo afiado arranhasse internamente minha nádega esquerda e uma mão perversa espremesse meus testículos. Entrei em casa e a dor me disse: "Ok, filho da puta, fui legal com você enquanto cê tava lá fora, aqui dentro cê é meu!" Ainda tinha umas obrigações com uma página do quadrinho "O BICHO QUE CHEGOU À FEIRA" e me sentei para dar os retoques na folha. Meus quadris parecia sem lubrificação, cada movimento era um choque doloroso que irradiava pelas pernas. Me levantar da cadeira exigiu um esforço monstro! Estou fodido, pensei.
Tomar banho foi um suplício, principalmente lavar os pés. Me enxugar idem. Me deitei sobre uma toalha no chão da sala e coloquei gelo. enquanto sentia o meio das costas ficar dormente eu pensava: "Oh, Deus, estamos quebrados de dinheiro, eu não posso parar de trabalhar, esta HQ já demorou demais! Tenho que terminar estas últimas seis páginas para pagar as contas!" Quis chorar mas não consegui. Em casa não havia nenhum analgésico, eu raramente tomo remédio, minha esposa tem cefaleias realmente fortes e ela sempre toma dipirona e afins, geralmente não sobra nada.
Eu temia a hora de ir para a cama pois sabia que eu não ia encontrar posição adequada para repousar. Vera fez uma bela massagem com um produto a base de cânfora, me acomodei de lado em posição fetal e adormeci.
Me erguer pela manhã foi angustiante, eu precisava urinar. Vera foi à rua e voltou com comprimidos para a dor. Não gosto de me auto medicar mas ir ao SUS por aqui é pedir para voltar pior. Tentei trabalhar mas vi que era impossível, eu não conseguia ficar cinco minutos sentado, nem cinco minutos em pé. O jeito foi relaxar na cama, sempre mudando de posição de tempo em tempo. O remédio provoca sonolência.


Sabem, assisti faz tempo dois filmes onde os protagonistas de cada um tinham problemas de dores nas costas - por acaso, de dois diretores alemães - e por acaso, achei as duas fitas ruins, uma era do Werner Herzog, esqueci o título; nele o Nicolas Cage, para salvar um suicida, pula num canal, o ato o deixa com sérios problemas de coluna e ele passa o filme todo com cara de dor e viciado em analgésicos. O outro é do Win Wenders, acho que se chamava The Million Dollar Hotel e o Mel Gibson é um agente do FBI (eu penso) que sente tantas dores nas costas que tem que usar um colete especial, passa a película suado e com cara de sofrimento.
Deve ser horrível levar uma vida assim. Hoje já me sinto melhor (mas não tanto), espero melhorar logo, sobretudo porque tenho muito ainda que produzir para continuar vivendo e não ir parar debaixo da ponte (falo sério!).


As imagens de hoje são de um dos tantos livros infantis que ilustrei: O MOEDOR NO FUNDO DO MAR, uma fábula norueguesa.


Até a semana que vem, com melhores notícias, se DEUS quiser!



14 comentários:

  1. Adorei tudo, Dudu! O colorido como sempre tá sensacional!! Parabéns:D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô, meu amigão! Fazia tempo que tu não aparecia por aqui, achei que estivesse de mal comigo :). Obrigado! Grande abraço!

      Excluir
  2. Meu pobre amigo. Eu sei que há uma dor terrível. Eu oro por recuperação rápida para você. Sei que um monte de trabalho, mas acho que por favor, lembre-se sempre que a saúde é importante que qualquer outra coisa. Dê ao seu corpo para recuperar tempo. Desejo-lhe uma rápida recuperação.
    I desfrutar da sua arte. Imagens de livros infantis são algo especial.Muito belo
    muitos abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Duas verdades você falou logo no início de seu comentário, Mira: dor terrível e pobre amigo. Sim, pobre, pois o dinheiro está sumindo dos meus bolsos muito rápido, a vida aqui no Brasil não anda fácil. Conselho de amigo: nunca saia da Alemanha para vir para cá, nem para fazer turismo. O comunismo plantou sementes nesta terra. O campo é fecundo. Deus tenha piedade de nós.
      Agradeço suas palavras e seus conselhos, mas se eu não trabalhar viro um aleijado morando na rua (sem exagero). Mas vou me polpar o máximo, prometo!

      A graça de Cristo está comigo.

      Um grande abraço pra você e seu marido!

      Excluir
    2. Ah Edu. It is not problem only in Brazil. I believe it is problem the whole world. With honest and hard work one rarely becomes rich. Here in Europe, not everything is perfect. I know it would complain at a high level. But here, too, many things are rotten. I wish that for you life is easier and better. Without great worries and pain. I pray for you and your family.

      Excluir

    3. I agree, my friend, the whole planet is contaminated by evil and corruption, but in third world countries things are a little more complicated. But I know you Europeans have their problems too.
      Thank you very much for your prayers and good auspices.

      God bless you!

      Excluir
  3. Há quase 2 anos, tive uma dor estranha no pescoço que passou em questão de horas. Mas não se compara a quem (como no seu caso) ficou quase todo imobilizado. Melhoras pra ti.

    (Momento desabafo)
    Um diretor/instrutor do curso de auxiliar administrativo que fiz ano passado em Porto Alegre, disse que no mercado de trabalho há vagas pra todos. O que falta são oportunidades. Ou melhor, muita gente tá na rua ou fazendo bicos porque muitos empregadores não admitem por uma série de entraves.
    Fico muito P%$@& da cara quando tem gente que vai a um SINE a cada semana, pela própria ficha feita, quem atende diz que não tem nada e pede pra voltar outro dia.
    De que adianta pagar pra fazer inúmeros cursos especializantes, se num país dominado por ladrões mentirosos como o nosso, é sempre um balde com água suja e gelada no lombo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu desabafo é mais que justo, meu caro! Vivemos momentos muito delicados neste país. Eu procuro ser otimista, mas as vezes digo a mim mesmo: "não sei, acho que o Brasil não tem jeito, vai continuar eternamente a ser uma terra que só existe para ser espoliada e financiar republiquetas comunistas". Desejo muita sorte a você, na sua busca por emprego.

      Excluir
  4. Santa coincidência, Batman! Também estou à base de remédio para dor muscular. Dói até quando respiro profundamente. Força, Schloesser! Força e paciência! Vai passar. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Carla, lamento muito saber disto! Torço também por sua franca recuperação.

      Obrigado, abração e força!

      Excluir
  5. Olá Eduardo.

    Venho acompanhando seu blog devido ao seu personagem Zé Gatão. Eu curto personagens antropomórficos desde criança como Tartarugas Ninja e Esquadrão Marte.

    Ainda não pude ter a oportunidade de ler algum material seu, mas assim que der quero adquirir alguma revista do personagem. Gosto de acompanhar suas histórias no blog e sei que é difícil essa labuta da vida, eu mesmo tenho os meus desafios.

    Abraços, Feliz Páscoa e que você se recupere logo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dood! Muito obrigado por sua mensagem. Eu curto demais antropomorfos, há muita coisa a ser explorada com personagens deste tipo.

      Os álbuns do Zé Gatão, eu creio, estou sumidos da praça, mas dá pra achá-los no Mercado Livre a preços camaradas, ouvi falar, eu recomendo o MEMENTO MORI e DAQUI PARA A ETERNIDADE, os dois livros publicados pela Devir e o melhor da minha produção.

      Sim, esta luta não tem sido fácil e já antevejo qual será o resultado, espero estar enganado.

      Um abraço, boa Páscoa para você também e apareça sempre.

      Excluir
  6. OI Eduardo,curto muito seu trampo tenho seus livros didáticos, será você poderia me ajudar ,analisando meu portfolio? ficaria extremamente feliz com isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Diego! Enviei uma mensagem para seu e-mail.

      Abraço e obrigado.

      Excluir