Total de visualizações de página

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

DE NOVO E NOVAMENTE

Esta curta HQ foi minha segunda postagem no blog, naquela época eu não sabia direito como trabalhar com esta ferramenta, então exibi todas as páginas como se fosse um dia de cada vez, mas todas no mesmo dia.
A razão para repeti-la são três:

1 - Fazer direito desta vez.
2 - Pessoas que acessam esta página podem não ter lido ainda, afinal nem todo mundo tem saco (ou tempo) pra ficar fuçando arquivos antigos. Elas têm a chance agora, e quem já conhece pode ler de novo, afinal, colocando a modéstia de lado, acho-a uma boa história apesar de curta. Não há cenários nem planos abertos, apenas close nos rostos das personagens. A expressão apática do felino contrapondo-se às feições do antagonista que procura subjuga-lo psicologicamente.
3 - O tema da postagem de hoje era outro mas não tive tempo de trabalhar as idéias, terá que ficar pra uma outra oportunidade.

Sinto um tom kafkiano nesta narrativa, ainda que sem intenção da minha parte. Eu a criei com o objetivo de abrir um álbum de histórias curtas, como se ela prefaciasse o que viria pela frente, daí o título. Se outras curtinhas que tenho guardadas ganharem vida no papel, ainda gostaria de pôr esta ideia em prática

Quanto ao enredo, acho que todos nós já nos vimos numa situação assim na vida.
E você? De que lado da mesa estava?





6 comentários:

  1. tenso...
    mas adorei, bem envolvente!!!
    demais!
    bjo

    ResponderExcluir
  2. Oi, Bruna.
    Meu próximo passo, será postar alguns contos, se Deus permitir, meu computador parar de travar e eu administrar melhor o meu tempo.
    Beijos e obrigado por seu prestígio

    ResponderExcluir
  3. Maravilhoso!!! Acho que minha tinta da impressora tá indo embora... (risos) Abração!

    ResponderExcluir
  4. Obrigado amigo,
    achei que você já conhecia esta.
    Abração.

    ResponderExcluir
  5. Olha, Du, eu posso até ter visto. Mas, sempre é um colírio ver seus desenhos, mesmo que se repitam. Até os irritantes Jô Suíno e Sylvia Porkovic se tornam criaturas envolventes e que a gente quer ver sempre mais e mais, quando desenhados por você. Muito bom!

    ResponderExcluir
  6. Muchas gracias hermano.
    Penso que este mérito eu tenho, acho que consigo dar bastante personalidade aos personagens.
    Valeu.
    Abraço.

    ResponderExcluir