Total de visualizações de página

sexta-feira, 20 de março de 2015

NOITE NA TAVERNA (CENA 2)

Bem cansado hoje, pra variar, mas o motivo foi que não consegui dormir a noite passada. Por volta de duas da manhã a energia elétrica foi pras picas, caía uma dessas chuvas de cachorro beber água em pé, com relâmpagos e trovões que faziam os vidros das janelas tremerem. Um calor sufocante, pegamos no sono com o dia amanhecendo, inclusive, tive o que chamam de paralisação do sono, que é quando você sonha com algo desagradável que parece real e não consegue se mexer. Horrível!

Na tarde anterior, um caminhão numa velocidade injustificada, arrebentou um fio de alta tensão aqui na esquina da minha rua nos deixando sem luz por cerca de três horas. Resultado disso tudo? Trabalho improdutivo. Uma página do Poe que consegui resolver muito bem está ainda nos estágios iniciais de sua finalização. Mas a gente segue em frente.

Conversando rapidamente hoje com um vizinho da rua, um coronel das forças armadas, fico sabendo que uma noite da semana passada bandidos pularam o muro de sua casa, forçaram a grade da janela (provavelmente com um macaco hidráulico) e entraram. Surrupiaram vários pertences, incluindo o Playstation 4 do seu filho e ele só deu conta na manhã seguinte. Na mesma semana dois vagabundos dentro de um carro estacionado num prédio próximo ao meu aliviaram alguns passantes de seus pertences. Ah, mas claro, culpar o governo federal do PT por esta bagunça toda é perseguição da minha parte! Eu só tenho que pagar os altos impostos, se quiser segurança devo me virar como puder.

A cabeça tá cheia mas tem muita ideia rolando, só preciso de tempo pra por tudo no papel. Por hora fiquem com  a segunda imagem de Noite na Taverna.


Se Deus permitir nos falmos de novo semana que vem.

8 comentários:

  1. Arrombaram a casa de um coronel!? Esses bandidos são muito sem noção, Schloesser. Nem investigaram pra saber com quem estavam mexendo. Quando descobrirem, vão entrar em pânico. Ri muito da expressão "dessas chuvas de cachorro beber água em pé". Eu não conhecia. Parabéns pelo desenho e continue firme com o Poe. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei não, Carla, bandido hoje em dia é muito ousado, lembro de uma época em que a polícia era temida, hoje assaltam delegacias, quanto mais um pacato coronel reformado.

      A tal expressão é antiga e ouvi pela primeira vez na boca do Luca.

      Obrigado e um abração.

      Excluir
  2. Sem energia... sem segurança... é isso aí, Eduardo, o Brasil está mudando. Muito bom o desenho. Álvares de Azevedo é o nosso "Poe" e com o seu desenho a história fica ainda mais interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não nos esqueçamos, Phelipe, da alta do dólar e a volta da inflação. Agora ficou mais difícil comprar ítens importados. Uma mudança urgente se faz preciso!

      Tento dar um ar mais soturno a estas imagens, o texto merece.

      Grato.

      Excluir
  3. Também não consegui dormir direito por causa da chuva e falta de energia. A ilustração ficou excelente, como todas. Quem pode culpar ladrões eventuais quando se tem o Governo roubando bilhões? 8P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Leo, má gestão em políticas de segurança, saúde e energia é regra num partido que não passa de uma quadrilha, a oposição se acovarda e põe panos quentes, mas tenho esperança de que aos poucos os bons de verdade, que estudam e não se deixam levar pela corrente de pensamento gramciano se levantem e vão às ruas mostrar de forma pacífica sua indignação e exijam mudanças.

      Grato por sua presença aqui e pelos elogios.
      Abração.

      Excluir