Total de visualizações de página

sexta-feira, 5 de junho de 2015

NASCIDO EM CAMPO DE BATALHA.



Tal qual o gerreiro Conan, meu último livro, DAQUI PARA A ETERNIDADE, o canto de cisne de Zé Gatão, nasceu em meio a uma guerra. Embates aos quais já estou até habituado, mas humano que sou, o grito se faz necessário quando sou atingido pelos torpedos. Não se preocupem, são as velhas pressões na luta pela sobrevivência, superaremos com a ajuda de Deus.

Mas apesar de todo o conflito, a alegria pelo nascimento de algo a tanto esperado supera o tom cinzento destes dias.

Estou tentando divulgar o produto com os recursos qua possuo, passando e-mails e principalmente pelo Facebook. Inclusive alertando aos que pegam o bonde com alguma velocidade que é necessário ler Memento Mori antes.
Assim que o livro estiver nas livrarias e comic shop (o que deve ser mais pelo meio do mês, por hora parece que está apenas em pré venda) vou acertar umas duas entrevistas, uma para o canal Zine Brasil e outra para a Rádio Federal. Quem me conhece bem sabe que detesto mostrar minhas fuças, mas vou tentar meu melhor para que os produtos sejam bem divulgados, o país passa por um péssimo momento, os leitores são resistentes à um material como Zé Gatão, então vou me esforçar. Isso demanda tempo e eu tenho que tocar um novo projeto didático.

Dito isso, fiquem com algumas imagens de ZÉ GATÃO - DAQUI PARA A ETERNIDADE e tenham todos
um nice weekend.









2 comentários:

  1. Eu tinha certeza de que você já estaria melhor, Schloesser. Fiquei feliz com seus planos de entrevistas. Vai dar tudo certo. Lembramos muito de você na Itália, especialmente quando víamos esculturas e pinturas em que Hércules aparecia sentando o sarrafo em alguém. Era um tal de Hércules esganando centauro, Hércules matando o leão, Hércules se pegando com a hidra... Mesmo em cenas mais calmas, tipo as de guerreiros simplesmente parados, a representação da musculatura fazia lembrar seus desenhos. Agora, o cúmulo do cúmulo aconteceu quando vimos a pintura de um mártir esfolado. Não, não é algo bonito de se ver, mas queríamos que você estivesse por perto pra nos dizer se o desenho estava correto. Depois de ver tantas obras de arte, chegamos à conclusão de que seus trabalhos não fariam feio na Renascença. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caramba, Carla! este é o tipo de comentário e elogio que merecia uma moldura! Fico envaidecido e agradeço muito as palavras gentis. Tô me sentindo aqui.

      Fico feliz com sua viagem. É bom sair da rotina um pouco, né?

      Vamos ver com ficarão as divulgações deste livro. Eu informo aqui.

      Grande abraço e bom fim de semana.

      Excluir