Total de visualizações de página

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

BIRDS


Gustavo Duarte é o único quadrinista desta nova geração com quem tenho contato, e cá pra nós, tá de bom tamanho. Com raríssimas exceções, não costumo simpatizar com estes artistas. Falta humildade em boa parte deles. Conversei um pouco com o Caco Galhardo em Brasília num evento comemorativo sobre Dom Quixote faz uns anos e não gostei do cara. Sei lá, acho que boa parte destes cartunistas, talvez pensem que publicando um ou dois livros com suas tiras os tornem superiores ao demais mortais. Bom, vai ver eles são mesmo e eu, um bobão, não consiga perceber.

Encontrei o Gustavo quando estive em Sampa em fevereiro deste ano e tomamos uma cerveja, na verdade cerveja é modo de dizer, ele tomou uma caipirinha de vodca e eu uma coca com gelo e limão (acho que o mestre Shima se enganou quando disse que eu era o Bukowski dos quadrinhos). O cara é simpático, bem antenado, transborda bom humor e talento pelos poros. Pessoas assim faz um bom contraponto com um cara "seco" como eu.

Seu terceiro álbum independente, BIRDS, fez sensação quando foi lançado nos EUA, e aqui pelo que soube não foi diferente. Muito merecido. O caminho dele já está traçado, é sucesso sem sombra de dúvida, e vamos ouvir falar muito nele ainda.

Birds, assim como seus dois projetos anteriores, CÓ e TAXI, são narrativas mudas, com tons surreais e por vezes pontuados por um humor macabro. Dá gosto sorver aqueles traços limpos e elegantes. Ele manda muito bem, e olhe que curto muito caras como o Peter Kuper, mas confesso que em algumas histórias mudas dele, eu tive que ler até duas ou três vezes para captar a ação, inclusive na série Spy x Spy da Mad. Até agora o Duarte não deixou a peteca cair.
Seus antropomorfos são um espetáculo à parte.

Recebi a minha Birds esta semana, veio com um brinde muito legal (brigadão brother).
Se você ainda não conhece, sugiro que corra atrás, a Có está esgotada, as outras duas, eu creio, vão pelo mesmo caminho.
Só tem um problema, a gente chega no fim da história querendo mais. E que venham mais.

2 comentários:

  1. o estilo dele é lindissimo e se recomendado por vc certamente vale mesmo a pena!!!
    só de olhar ja me adorei, parece bem legal!
    valeu a dica.
    bjo

    ResponderExcluir
  2. Sem dúvida, Bruna, o trabalho dele é realmente muito bom. Me pergunto como será quando ele resolver colocar palavras nas histórias.
    Beijão e obrigado.

    ResponderExcluir