Total de visualizações de página

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

DIVULGANDO A CRIAÇÃO.

Se os outros não falam a gente tem que falar.
Não é surpresa que quase nenhum site ou blog especializado em HQs tenha resenhado minha última publicação em quadrinhos. O MdM foi uma grata surpresa, eles inclusive elegeram Zé Gatão-Memento Mori o melhor quadrinho nacional de 2011, o blog Cocô na Cuia (sim, o nome é este mesmo) fez uma menção honrosa ao álbum.

Semana passada, o Leandro Luigi Del Manto, editor da Devir, me enviou esta nota do jornal "A Tarde"  (Salvador-BA) comentando brevemente a publicação.
Se você que me segue e gosta de quadrinhos ainda não leu esta graphic novel cheia de bichos violentos, acho que deveria pensar de novo.

2 comentários:

  1. Fala, Eduardo! É isso aí. É exatamente isso que vc precisa fazer: divulgar, divulgar. Estou comentando meio penalizado, pois já deveria ter comprado o meu. Mas breve compro. De vez em quando leio livros sobre marketing de guerrilha. Faz despertar para as possiblidades que podemos usar a favor dos quadrinhos. O difícil é adaptar e aplicar essas ações... mas acho que vc têm que fazer isso que está fazendo. Afinal, sua criação é muito boa, forte e o potencial é enorme.
    Abração, e boa semana,

    ResponderExcluir
  2. Pois é, meu amigo, durante muito tempo evitei de falar sobre meu trabalho, bem ou mal, e se fosse pra falar algo, que fosse com uma ponta de ironia. Fruto da minha insegurança, algo assim, se não gostarem, que seja eu o primeiro a reconhecer as fraquezas do mesmo. Como uma espécie de Woody Allen que se auto-parodía. Hoje tenho que concordar com aqueles que dizem que se você não enaltecer seu trabalho, ninguém mais o fará. É por estas e outras que falo de momentos da minha vida sem maquiagens, como a deixar um registro da minha existência a quem interessar possa.
    Eu mesmo não li na íntegra o Zé Gatão- Memento Mori depois de publicado, apenas algumas cenas, ainda não tive tempo, mas acho que é meu melhor trabalho até agora.
    Grato por seus comentários.
    Abração.

    ResponderExcluir