Total de visualizações de página

terça-feira, 9 de abril de 2013

ZÉ GATÃO E OS ESCÂNDALOS.



A arte de hoje é uma fanart de Zé Gatão criada pelo Gil Santos, um jovem artista pra lá de talentoso. É muito legal ver sua criação nos traços e cromatismos de outros artistas. Obrigado Gil, de coração.
É curioso notar que a visão do Lancelott para o felino é a postagem mais popular deste blog a muito tempo.
                                                                        
                                                                          ****
Sábado último, estreou na Rádio Federal de Brasília, o programa ENERDIZANDO, capitaneado pelo grande artista Nestablo Ramos Neto, criador das hqs Zoo, PETS, Carcereiros entre outros. O programa discute e divulga a cultura nerd com informações sobre séries, cinema, quadrinhos, games, mirabilias e tutti quanti, tudo entremeado de boa música e muito bom humor. Prestigiem, é todo sábado de 10 hs da manhã ao meio dia,   http://www.radiofederal.com.br/ .

Aconteceu um negócio interessante no programa, o Nestablo convidou umas pessoas a participarem, um rapaz, dono de uma loja de toys (se entendi bem), e uma garota que faz cosplay - aliás ela foi à radio vestida de Capitã América - bem, a certa altura entre os muitos comentários dos participantes, mandei um recado via e-mail ao programa sugerindo ao Neto que fosse pautado, quando possível, uma matéria falando dos veteranos dos quadrinhos brasileiros, pessoas como Colin, Zalla, Shima e outros. Minha mensagem foi lida e tiveram a fineza de me apresentar como o criador do felino antropomorfo Zé Gatão. Neste ponto a Capitã América interrompeu para dizer que a muitos anos quando ela era ainda uma criança, na casa da avó, havia um exemplar do Zé Gatão no armário (acho que foi isso) e ela folheou o álbum. O que ela viu ali a traumatizou profundamente. Ela colocou emoção na voz: "Cara, o pior é que ele é um bicho!" Evidentemente um puta feedback negativo. Notei que o Netão fora pego de surpresa e a única coisa que ele pode dizer em minha defesa (muito acertadamente) é que aquilo se tratava de quadrinho underground destinado ao público adulto. 
Me vi mais uma vez na mesma lista onde figuram Crumb, Bukowski e Liberatore sem ter a mesma projeção deles.
Não sei o que foi dito no intervalo mas a mina depois se desculpou no ar comigo pelo seu testemunho desastrado.

Sabem, nesta horas eu tento rir da situação e pensar como o tremendão Erasmo Carlos: "Falem mal, mas falem de mim." Mas fico me perguntando se há motivo para tanto barulho. Sei que ninguém tem a obrigação de saber mas os quadrinhos de Zé Gatão embora contenham muitas cenas de ação e filosofia barata, ele serve para mim como válvula de escape. Um meio pelo qual eu possa dar vazão aos meus arroubos de fúria.
Só isso.

Certa vez no Park Shoping em Brasília, durante uma tarde de autógrafos fui acusado por uma mulher de ser "INDECENTE". Fui barrado de ter uma matéria publicada numa revista especializada em cultura pop pelo editor e acusado de ser IMORAL e VIOLENTO.
Tenho muitas histórias mais para contar, mas não me resta paciência para faze-lo. Estou enfastiado de me justificar. Não concebo hqs para agradar, mas para sacudir e mostrar como vejo este mundão "bonito" que aí está.
Apesar disso tudo Zé Gatão continua na estrada. Não lhe resta alternativa, ele tem que faze-lo. E eu também.

8 comentários:

  1. Puxa! Coisas assim podem desanimar, mas como vc disse, fazer hqs é muito mais que apenas desenhar sequências bonitinhas. O Zé Gatão é um personagem autêntico talvez por essa sua inclinação a colocar nas hqs os sentimentos que de alguma forma, muitos possuem, mas não extravasam. Eu não li tudo (talvez nem um terço) do personagem, mas sei que ele é impactante e sempre terá seu espaço.
    Grande abraço,

    ResponderExcluir
  2. Obrigado por seu apoio, Gilberto.
    Sabe, já disse quase tudo que eu queria com este personagem. Ainda tenho pronto alguns roteiros de umas hqs curtas, que pretendo ainda desenhar e ideias para uns poucos contos e uma longa onde será dado o ponto final na carreira dele. Veremos o qua nos diz o futuro.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Fala, Dudu! Realmente fui pego de surpresa, mas não fique chateado, meu amigo. Senti na hora que ela apenas botou algo da infância para fora, era uma criancinha que se meteu num armário e achou algo diferente, mas que não era para a idade dela! Quantas vezes já não nos deparamos com situações semelhantes? Com certeza ela não fez popr mau. ahehehehe... receba como elogio! Sabemos que ZG não é para crianças e gostamos dele assim! A arte tá muuuuuito fera!!! Abração!!!

    ResponderExcluir
  4. Ah, sim Netão, apenas usei este episódio para confirmar, nesta postagem, o quanto ainda me surpreendo com situações que nunca mudam, apesar de sexo e violência serem comuns em novelas e na sessão da tarde, mas não estou chateado com a mina, não. Longe disso, como você falou, era apenas uma criança.
    Vamos em frente.
    Abração.

    ResponderExcluir
  5. É uma pena a maioria das pessoas achar que quadrinho é quadrinho, porém, como nos livros os gêneros são IMPORTANTÍSSIMOS! Onde já se viu? Não gosta de quadrinho underground, não leia! Ser taxado de indecente é muito infantil! Boa sorte.

    ResponderExcluir
  6. Pois sim, Matheus, a questão é que quem não lê quadrinhos genuinamente não conhece seus gêneros, não discerne que existem hqs para adultos, jovens e crianças, a maioria pensa que só existe Turma da Mônica, heróis e mangás, daí ao verem uma obra que contenha cenas de truculência e sexo, não imaginam que aquilo foi concebido para um público adulto e bem específico. É a falta de cultura geral. De qualquer modo, me surpreende que hoje ainda, as pessoas se escandalizem com Zé Gatão mesmo após o que é mostrado diariamente na tv e jornais de bancas.
    Obrigado por sua visita e comentário.

    ResponderExcluir
  7. Era justamente isso que pensei, Schloesser. Ninguém pretende se manifestar contra o que a mídia aberta mostra aos jovens e crianças todos os dias. Não sei se essas pessoas são moralistas ou falsos moralistas, falta-me a semântica, mas são com certeza hipócritas. Um grande abraço, meu caro. E só de propósito eu vou começar a ler Zé Gatão. hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe, Douglasch, parei de justificar do porque meus quadrinhos serem como são, gosto deles assim, fortes, mas com conteúdo, (pelo menos penso que eles tem conteúdo). Pode ler na boa, não tem contra indicação, a tv aberta mostra coisas piores.

      Abração!

      Excluir