Total de visualizações de página

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

CONTOS FLUMINENSES ( 04 )



A semana passou rápido. Parece que o último domingo foi ontem. Nem vou falar mais a respeito disso. Pra quê? O caso é que não consigo não me sentir perplexo, afinal de contas 24 horas não é mais suficiente pra eu fazer tudo o que gostaria, tipo, o dia perfeito pra mim se resume às horas necessárias para o trabalho e nos intervalos ler o capítulo de um livro, escrever um texto e fazer meus exercícios (puxar ferro, leia-se) e agora não consigo mais, alguma coisa fica de fora, geralmente os ferros, isto porque estou me tornando cada dia mais preguiçoso, exercícios com pesos exigem uma atitude mental que em geral é gasta no ato de desenhar (ganhar dinheiro é prioridade, queridos), sem contar as pequenas e persistentes dores que me acompanham, acho que este é o saldo de muitos anos de treino pesado.

Voltando ao assunto tempo, estou convicto de que ele diminuiu, embora nossos relógios continuem a girar os ponteiros na mesma velocidade. Não deveria ser surpresa pra mim, afinal Jesus em Sua palavra já havia dito algo a respeito quando dissertava sobre o fim dos dias, só não imaginava que seria tão literal (teoria minha).

Não lembro de um mês tão improdutivo quanto está sendo este outubro. Trabalhei pouco. Tá, ainda estou a espera de material da editora (deve chegar hoje), mas não justifica, tenho a bio do Poe me aguardando, mais hqs curtas do Zé Gatão esperando ganhar imagens de roteiros já prontos, entre outros projetos. O que fiz foi umas artes encomendadas que logo darão as caras por aqui, se Deus quiser, mas sei lá, há muito a ser feito e estou muito lento.

Mas deixe estar, ainda estou por aqui, na estação certa, no meu momento, o que está pendente vai ganhar vida - estou compondo uma nova página do Poe - tenho que ficar menos ansioso e remar meu barco em meio às ondas procelosas com as energias que possuo.

Dito isto, amadas e amados, quero desejar a todos um auspicioso fim de semana.


4 comentários:

  1. Verdade, Eduardo! O tempo parece cada vez mais rápido, ainda que nossos relógios pareçam estar indo em ritmos usuais. Einstein já dizia que o tempo era relativo. Talvez seja só nossa percepção própria da idade (Tenho praticamente a mesma idade que você)...
    Ótimo final de semana pra vc e a Verônica.
    Abração,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser só uma mera impressão, Gilberto, mas não sei, estou inclinado a crer que o tempo está menor, sim, e não por ser relativo. Bem, de qualquer modo a luta continua, e mais renhida que nunca. Bola pra frente.
      Nice weekend pra vocês também.

      Excluir
  2. Nós aqui também estamos correndo, Schloesser. Somos só dois numa lojinha do tamanho de uma caixa de fósforos. É tanta coisa pra resolver que só conseguimos conversar direito à noite. Já faz tempo que não atualizo o blog e ainda preciso entregar um texto esta semana. Vou começar hoje. Haja warp speed! :) Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vida do ser humano em velocidade máxima, Carla. Tá mesmo difícil acompanhar o atual ritmo das coisas. Mas vamos com calma. Ou ouvia dizer, lá, em anos que ficaram para trás, que é andando devagar que se chega depressa. Será?
      Grande abraço.

      Excluir