Total de visualizações de página

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

MAIS UMA PÁGINA PARA EDGAR ALLAN POE.


Hoje me sento aqui e algo muito incomum acontece: não sei o que vou escrever, tampouco que desenho vou postar. Este é um blog que uso para divulgar o que é possível do meu trabalho e com o tempo tornou-se uma espécie de veículo onde pude transmitir alguns dos meus pensamentos, daí o porque traços e letras raramente estão dissociados. As vezes planejo o que será comunicado, outras sai de chofre, sem esboço prévio. Agora porém, não há exatamente o que dizer (na verdade já está sendo dito, é só começar a teclar e as ideias vão se formando).
O caso é que tenho centenas de desenhos, mas quase todos são encargos para livros ou ilustrações encomendadas, o que chamamos comissions, nada pessoal que possa (ou que deva) mostrar no momento. Vasculhei rapidamente minhas várias pastas de desenho e nada vi ali que fosse inédito, que pudesse ser visualizado agora e que me inspirasse a escrever algo que não fosse um mero devaneio.
Tive então que me valer da biografia do poeta americano Edgar Allan Poe, uma obra em quadrinhos que me tira o sono. Quem me acompanha por este blog a tempos, sabe que este projeto está engasgado na minha garganta a anos. Não tenho tempo de desenvolve-lo mais rápido, o roteiro não é meu, é do Rubens Lucchetti, um escritor de mais de 80 anos, e anseia por vê-lo terminado, não há nenhuma pressão formal para que o acabe logo, mas até quando ele se arrastará? É um trabalho pessoal pois pus a minha alma nele, mas não me pagam um centavo por isto, daí o porque dele estar sempre relegado aos meus vácuos de produção. Não estou me queixando, sei que criar hqs no Brasil é assim mesmo, na raça, talvez um reconhecimento em forma de alívio financeiro venha depois da publicação, mas até lá o Poe deverá mesmo aguardar a sua vez.

Este é um quadro de página inteira, foi um dos últimos que pude fazer. E olhem só, o texto acabou saindo!



8 comentários:

  1. Oi, Schloesser! Gostei do céu dramático. Lá vem uma tempestade daquelas de filme de terror. Sei que tempestades fazem mal a muitos seres vivos, mas, nem por isso, deixo de achá-las magnificamente lindas. Se eu pude$$e, caçaria tornados. :) Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Eu também, Carla, gosto muito de tempestades, mas só quando estou seguro, confortável e abrigado dentro de casa.
    Gracias e um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia, grande Schloesser!
    Excelente uso de contrastes na ilustração! A textura das nuvens é louvável. Espero que consiga colocar esse projeto nos eixos. Seria muito interessante visualizar uma obra de Poe através de sua ótica.
    Está tendo algum problema com sua conta no facebook? Não estou conseguindo enviar-te mensagens.
    Respeitosamente. Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Obrigado, Marciano.
    Se Deus me der vida e saúde vou concluir esta hq do Poe, tenho mais de 50 páginas prontas.

    Rapaz, eu também desde ontem não consigo acessar minha página do Face, aparece uma mensagem que diz que minha conta está em manutenção. Doideira. Mas acho que brevemente estará ok.

    Abração e tudo de bom.

    ResponderExcluir
  5. Linda ilustração, Eduardo! Esse céu ficou fantástico! Espero um dia poder ver e ter essa obra na minha estante.Ótima semana,
    Abração,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Gilberto.
      O problema com esta obra é que eu acabei arrumando um problema pra mim mesmo. Desenha-la com estes tons são complicados e cansativos, e olha que eu acho que muita coisa ainda poderia ficar mais bem trabalhada e detalhada. Mas aos poucos ela vai saindo.
      Abração.

      Excluir
  6. Uau! Adorei a imagem! Bem ao estilo POE mesmo! Adoro céu cinza e carregado dessa forma!

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esta bio em quadrinhos do Poe contém muitos céus tristonhos, Camila, Também gosto muito deste tipo de clima.

      Gracias e um big kiss.

      Excluir