Total de visualizações de página

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

MARÍLIA DE DIRCEU (CENA 03)



Eita, que cansaço! E o trabalho está longe de acabar, no momento estou ilustrando, paralelo aos didáticos (que são um pé no saco) o clássico "Numa e a Ninfa" do lima Barreto, este sim, dá prazer de fazer, apesar da complexidade da técnica usada. Por isto a fadiga é compensada pelo prazer de ver a imagem criar vida no branco do papel.
Minha prancheta está uma bagunça, montes de canetas, lápis, livros de referências, pó de borracha (tenho que espana-la) e o notebook bem na beirada onde escrevo a vocês aproveitando para dar uma descansada. Rola um Zé Ramalho no meu som. Minha posição não é lá das mais confortáveis apesar de manter as costas eretas, não é a toa que no final do expediente estou com as costas ferradas, clamando por um Dorflex.

Meu polegar esquerdo continua luxado, me impedindo de segurar as coisas com firmeza, o esporão no calcâneo direito continua me torturando, agora dando sinais também no esquerdo, a editora não mandou os contratos para serem assinados apesar das artes entregues no prazo, resultado, nada de dinheiro esta semana. Duas contas venceram, os juros não querem saber, ou seja, nenhuma novidade. Espero que com vocês esteja tudo bem.

As artes de hoje são para Marília de Dirceu.

Preciso voltar ao trabalho. Bom fim de semana para vocês, meu amados e minhas amadas.

2 comentários:

  1. Os desenhos estão lindos, Schloesser. Mesmo precisando de Dorflex, você continua fazendo seu trabalho no capricho. Profissional é isso. Quer rir um pouquinho pra relaxar? Leia o que aconteceu com a gente e um "onço" negro, em Manaus: http://www.diariodoengenho.com.br/repelente-de-onca-estressada-por-carla-ceres/ Abraço e melhoras!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela visita e cometário elogioso, Carla. Isso ajuda.
    Vou dar uma olhada no link que você deixou e assim que for possível, te retorno.
    Forte abraço.

    ResponderExcluir