Total de visualizações de página

terça-feira, 19 de maio de 2015

NOITE NA TAVERNA (CENA 8)


Era pra ter postado ontem a noite mas não consegui. Caos, mente cansada, tempo curto, há trabalho pra fazer mas estou desconcentrado e um tanto sem rumo. Na verdade o que pretendia escrever aqui era algo totalmente diferente. Tinha a ver com minhas ideias sobre BANDIDO BOM É BANDIDO MORTO, discorrer um pouco sobre o lumpenproletariado como massa de manobra no sistema marxista e todas essas coisas, mas confesso não estar com o menor ânimo pra esses pensamentos.

Como sempre, acostumados a certos confortos da civilização, ao nos vermos privados dele sentimos o quanto estamos dependentes. Hoje não tem água aqui no prédio. Motivo? Um bandido pulou o muro como um rato ninja e roubou a bomba d´água. Não sabemos mais que isso. No lugar deixou suas sandálias imundas. Vou poupá-los dos detalhes de como descobriram o furto, mas nestas horas penso em como estamos expostos ao perigo. Deve ter sido obra de um trombadinha de merda, mas se fossem bandidos ousados e armados para fazer um arrastão em todos os apartamentos? Não quero nem pensar.

Bem, a vida segue (mesmo sem água, sei lá por quanto tempo).

A dengue deixou um pouco de dor nos olhos e um cansaço de quem escalou um poço profundo, mas é mais mental que físico. Mas está tudo bem. Temos que ser pacientes, continuar trabalhando e esperando o tempo do Senhor.

Hoje, pra vocês, mais uma imagem de Noite na Taverna.

Inté.



4 comentários:

  1. Esse tipo de coisa irrita mesmo, Schloesser. Aqui os viciados em crack costumam invadir para roubar fios elétricos, torneiras, maçanetas, o que tiver metal para vender. Pelo menos você está se recuperando da dengue. Já é algo bom. Parabéns pelo desenho! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Geralmente você é uma das primeiras a comentar aqui, Carla! Agradeço muito, muito mesmo.

      Vamos tocando a vida, devagar e sempre em frente.

      Valeu pelas palavras.
      Abração.

      Excluir
  2. Pôxa... esses ladrões são uma praga mesmo. Dia desses, na minha rua, um vizinho teve sua casa roubada. Encostaram um perua e levaram muita coisa. E olha que ele têm uma serralheria no salão em baixo da casa e haviam funcionários trabalhando e não viram nada... terrível!
    A iluminação desse desenho como sempre, tá um show à parte.
    Que tudo melhore por aí,
    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este tipo de coisa, Gilberto, não deveria ser corriqueiro, um fato normal em dias de hoje, mas a triste realidade é que assim é. Furtos, assassinatos, se tornaram banais. É um mundo estranho e eu me sinto mais estranho ainda habitando nele.

      As ilustras para este clássico também me agradam.

      Obrigado e grande abraço.

      Excluir