Total de visualizações de página

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

"DREDD" E "THE RAID: REDEMPTION"


Desde que vi um trailer no site Omelete sobre um filme indonésio intitulado "The Raid", fiquei doido para assisti-lo; nas poucas cenas mostradas, tiros e pancadarias eram a palavra de ordem (algo bem típico do cinema que se faz naquelas paragens). Não passou nas salas de projeções brasileiras, não consegui baixa-lo pela internet, mas esses dias consegui uma cópia pirata (dublada- argh!) e pude matar a vontade. Não posso dizer que fiquei desapontado, o filme tem cenas de ação memoráveis e é de uma violência explícita poucas vezes mostradas. Contudo, o roteiro é muito fraco e as atuações muito rasas. Na verdade, isto nem importa tanto, sei o que esperar de produções deste tipo, para mim, ele peca mais por algumas cenas de luta que poderiam ter a metade de sua duração, acho que ficaria mais realista. Mas diverte. Para quem gosta de adrenalina, eu recomendo.
O enredo é o seguinte, uma equipe da SWAT invade um prédio repleto de bandidos (do primeiro ao último andar) a operação dá errado e a bandidada cai matando (literalmente) e os mocinhos tem que se virar para sobreviver, sem chances de resgate.
Não entendi muito bem a questão da corrupção policial, mas as cenas de porradaria em ambientes fechados são muito bem realizadas, principalmente quando acabam as balas e todos partem para o combate com facas e facões.

Agora chego ao ponto: "Dredd", o segundo filme oriundo do mais popular personagem britânico de hqs. O primeiro foi protagonizado pelo  Sylvester Stallone em 1995, e era muito fraco - na verdade, uma merda.
Não é o caso deste segundo. Este é muito bom! Algumas pessoas torceram o nariz, é claro, mas para mim é um filme que cumpre perfeitamente aquilo a que se porpõe. Eu sempre curti o estilo do Juiz Dredd, ele trata os vagabundos como merecem, na ponta da botina e não exita em atirar para matar.
O que ele tem a ver com The Raid? Simples, a história é a mesma, tanto que já li afirmações de pessoas na net, acusando-o de plágio. Nada a ver, é possível até que os realizadores de Dredd tenham se inspirado no filme oriental, mas na verdade, pessoas de bem, perseguidas por malfeitores em território inimigo, não é exatamente novidade.
Muito me impressionou o fato de ator principal, Karl Urban, não ter tirado o capacete durante todo o filme (ao contrário do Stallone), mantendo assim a aura de mistério, que é a marca registrada do personagem, afinal nem os criadores da hq conhecem o seu rosto, visto que Dredd nunca foi desenhado sem sua cobertura.
Infelizmente, nem todo mundo fora dos quadrinhos conhecem o Dredd, então o filme não pode ser saboreado da forma devida. Eu mesmo li poucas hqs dele, só aquelas lançadas pela Pandora Books e as edições em crossover com o Batman pela Abril.


Esta arte eu fiz rapidamente, só para ilustrar esta postagem. Na verdade os editores da extinta Pandora Books (Leandro Luigi Del Manto e o Maurício Muniz), pensaram em mim para pintar uma capa para uma das revistas (rapaz, quanto tempo, já!!!), mas nunca aconteceu.

Isso aí, minha gente. Abração pros gatões e beijos pras gatinhas.
Bom fim de semana prolongado a todos.

6 comentários:

  1. Fala, Eduardo! Esse desenho ficou muito bom!! Essa técnica do lápis de cor que vc usa é invejável. Já vi em seus livros de desenho e preciso treinar pra adquirir um pouco dessa habilidade.
    Quanto ao Juiz Dredd, tb gostei do Trailler. Já saiu no cinema? Tô meio por fora esses dias. Talvez amanhã vá ver o Looper, c/ o Bruce Willis.
    Por incrível que pareça, nunca li uma HQ do Juiz. Mas já li sobre.
    Bom, já escrevi demais. Grande abraço,

    ResponderExcluir
  2. Lá no FACEBOOK mencionaram o THE RAID. Até eu disse lá que a WARNER gravou 4 IRMÃOS "inspirado" no faroeste OS FILHOS DE KATE ELDER e ninguém (a não ser, críticos) se manifestou. Quanto a OS INFILTRADOS (que é bem bacana e também citei), dizem que é refilmagem de um filme de Hong Kong (Mon Gaan Dou- Conflitos Internos) e pouca gente se toca. Tem gente que não sabe a diferença (por desinformação ou falta de atenção) entre plágio, remake e inspiração.

    Gostei do desenho. Eu já desenhei o DREDD encarando o BATMAN, por culpa do CORINGA. Hehehe!!

    Bom feriadão e fim de semana pra ti!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, Anderson! Assisti Os Filhos de Kate Elder (muito bom!), mas não vi 4 Irmãos. Gostei dos Infiltrados e embora tenha ouvido falar muito do original chinês, nunca assisti. Realmente pouca gente se toca das diferenças entre homenagem, cópia ou mesmo citação, isto sem falar quando duas idéias brotam ao mesmo tempo (como é o caso de Vida de Inseto e Formiguinha Z ou Tombstone e Wyatt Earp). Já faz tempo, o Christopher Lambert protagonizou um filme muito bom, chamado por aqui de Franco Atiradoes, que é claramente inspirado no clássico O Bom, O Mal e o Feio, do Sérgio Leone.
      Abração.

      Excluir
  3. Salve, Gilberto! Este desenho foi feito as pressas para ilustrar a postagem. Lápiz de cor é uma técnica em que me sinto confortável, com treino e paciência se adquire um bom reultado nos trabalhos.
    O filme do juiz é bom pra caramba! Inclusive, periga já ter saído de cartaz.
    Obrigado e um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Cara, não vai acreditar... TEH RAID já chegou numa locadora perto da minha casa! E com o nome de MISSÃO: INVASÃO (algo assim). Já tava alugado, senão, eu pegava. Hehe!!

    ResponderExcluir
  5. Pois é, fiquei sabendo ontem que lançaram em DVD. Dá uma espiada. Vale a pena.

    ResponderExcluir