Total de visualizações de página

quinta-feira, 11 de julho de 2013

A SAUDADE DEVORADORA.


Pela janela olhando as misericordiosas negras nuvens ocultando o inclemente ardor solar. Copiosas lágimas celestes cobrindo o mundo de umidade me envolvem como um cobertor de tristeza. Um vento amargoso de voz enlutada invadindo as frestas da minha alma apontando a longa estrada molhada por onde você se foi.
Nada me resta senão esperar.


2 comentários: