Total de visualizações de página

segunda-feira, 29 de julho de 2013

MY CRAZY SKETCHBOOK: 40 GRAUS.


Dor e agonia. Foi como passei meu fim de semana e ainda estou sob tortura. A coisa começou após eu ter realizado um exame na bexiga. Na tarde de sexta feira os sinais de uma fraqueza já se faziam notar, como tenho um trabalho para entregar hoje (segunda), não me dei ao luxo de descansar, mas por volta das 17 horas tive que me render, comecei a ter sintomas de febre que em pouco tempo se converteu num calafrio incontrolável. Verônica insistia para que fôssemos a um Pronto Socorro, mas eu achava que umas horas de repouso dariam conta de debelar o problema. Como a coisa só piorava, lutando contra os tremores que mal me impediam de amarrar meus cadarços, fomos à emergência de um hospital próximo à nossa casa. Meu cunhado nos levou de carro. Eu não conseguia parar de tremer.
Ao ser atendido, relatei a um médico novinho e muito atencioso, que aquilo se deu, justamente após um exame urodinâmico. Minha pressão estava alta e minha febre beirava os 40 graus. Me deram duas injeções, uma intravenosa e outra dolorida nas nádegas e fiquei em observação por uma três horas. Estava com suspeita de uma infecção urinária das brabas. Quando a febre cedeu um pouco, me mandaram pra casa com a tarefa de tomar um antibiótico fortíssimo por três dias. Sábado, domingo e até o momento estou com o corpo como se uma tropa de cavalos tivessem trotado sobre mim, urinando brasas incandescentes em jatos curtos e despresiveis. Isto sem contar um cefaleia onipresente que nem me deixa pensar direito. Não exagero, meus amados, é assim mesmo que estou. E não posso parar minha s atividades, elas tem urgência.
Hoje pela manhã consegui falar com meu urologista e ele pediu um exame de urocultura pra saber de fato o que está acontecendo. Só assim prescrever o tratamento adequado.
Dizem que saúde é tudo, verdade. Dizem que aquele que encontra uma boa esposa encontra um favor de Deus, é a mais pura realidade, a dedicação e preocupação da Verônica para comigo é reconfortante.
É sabido que após os 40 anos nosso corpo começa a dar sinais de falhas, remanejamento de peças e coisas tais, comigo foi um pouco depois, mas agora parece que começo a descer a ribanceira. Mas vamos em frente, adiando enquanto possível o momento derradeiro.
Obrigado a todos por ouvir este desabafo.

4 comentários:

  1. É preciso desabafar mesmo, Eduardo! Doenças são terríveis e quando nos pegam assim, cheio de tarefas inadiáveis, é ainda mais terrível. Torço para se recupere logo. Força. Deixo você com um ditado que uma vez escreveram em um cartão para mim. "Quando mais te parecer que é impossível, é quando você precisa acreditar mais"
    Grande abraço, e melhoras...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E a coisa não parou aí meu velho, hoje, após escanear o trabalho e enviar ao cliente, sentia-me um tanto depauperado e resolvi me deitar um pouco, acordei com uma dor de cabeça horrível e descobri que embora minha bexiga estivesse a ponto de estourar eu não conseguia mijar. Alguma coisa obstruía a passagem. Fiquei neste suplício a tarde toda tentando urinar sem conseguir. Baixei o pronto socorro de novo, e minha urina teve que ser tirada com sonda. Solicitaram uns exames para ver a extensão desta infecção. Vamos ver o que vai dar.
      Obrigado pelas palavras e apoio.
      Abração.

      Excluir
  2. Deus do Céu, que momento difícil vocês estão passando! Imagino seu sofrimento e a preocupação da Verônica. Sei como é isso. Meu marido também só vai ao médico quando não aguenta mais. Acontece que, no caso de infecções, quanto antes começar o tratamento, melhor. Vá ao pronto-socorro quantas vezes precisar. Eles estão lá pra atender quem realmente necessita de ajuda. Sei que sua esposa vai ficar de olho em você e vai insistir para que você siga o tratamento à risca. Por favor, facilite a vida dela, se cuide. Força e fé pra vocês dois. Tudo vai ficar bem. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carla, muito obrigado pelas palavras de apoio. Estou me cuidando aqui da melhor forma possível, mas a coisa não está fácil, só consegui marcação com meu urologista para sexta feira próxima (ainda), até lá espero que nada mais me surpreenda, digo isto porque hoje pela manhã tive que baixar a emergência de novo para excretar a urina via sonda, foi um sofrimento atroz. Nem sei o que seria de mim se a Verônica não estivesse ao meu lado. Sabe, ela é muito discreta, eu ao contrário, falo demais, ela nem sabe que tornei meu drama público por este espaço. Mas creio que um desabafo se faça necessário. O ruim é que depois do trabalho urgente, tive que por de lado mais uma vez os meus projetos pessoais. Mas é a vida, há de dar tudo certo, se Deus quiser.
      Valeu pela força.
      Abração.

      Excluir