Total de visualizações de página

sexta-feira, 5 de julho de 2013

MY CRAZY SKETCHBOOK ( 01 )

Dizem que se conselho fosse bom ninguém dava de graça, mas se já fiz tanto desenho e ninguém me pagou nada, sendo este é meu ganha pão, não custa dar um "conselhinho" gratuito para evitar que algum de vocês tenham a dor de cabeça que estou tendo nos últimos tempos.
Bem, o conselho é este: Se forem a alguma loja de eletrodomésticos para adquirir um liquidificador, geladeira, ou o que seja, e o vendedor lhe oferecer a tal garantia estendida, de-lhe uma boa e potente porrada na cara para ele parar de engabelar o cliente. Não, melhor não, este é um mau conselho. Você pode fraturar algum osso da mão. E pensando bem, o vendedor é um pobre pau mandado. Vamos recomeçar. Se em alguma loja, no momento de adquirir seu produto, o vendedor tentar te aliciar com a garantia estendida, diga que não interessa. É um bom conselho. Tão bom quanto o uso de protetor solar.
No final do ano passado nosso ventilador "deu pau". Sem ventilador neste lugar você não vive. Literalmente.
Comprar outro, fazer o quê? Na loja a vendedora veio com aquele papo, que além da garantia normal do produto, se pagássemos uma grana extra teríamos mais um ano de garantia e a certeza de que se o aparelho apresentasse algum problema a loja nos daria outro novo em folha. Topamos.
Na verdade, já havíamos comprado a tempos uma batedeira e nos passaram o mesmo papo, mas esta não deu problema até hoje.
Bom, voltando ao ventilador, depois de dois meses de uso a velocidade máxima dele parecia o mínimo, mas dava pra usar, até que de repente pifou de vez. Acionei a tal da garantia estendida. Ligo na loja. Me falam pra ligar diretamente na seguradora. Ligo. Explico o problema. Me informam que só posso fazer valer a garantia após um ano de uso. Mas até lá eu fico sem ventilador? O senhor deve levar até uma assistência técnica autorizada. Ok. Não há nenhuma próxima de onde moro. Demoram a me dar um endereço de um lugar que não seja fora do país. Foda, né? O pior foi que numa das ligações que fiz uma pessoa me diz que após um ano se o problema persistir uma junta analisará o problema e se for o caso me devolverão o dinheiro pago. Mas e a história de me darem um novo? Foi o que a vendedora nos garantiu. Não é bem assim, senhor. Ah, não? E como é então? Eu já expliquei senhor. Ciente de que a pessoa ao telefone não tem culpa da minha desdita e não resolve porra nenhuma, resolvo não me estressar.
Como não tenho carro, levo a maldito ventilador de ônibus na assistência autorizada. Deixo lá. O técnico me informa que o aparelho não tem concerto, a peça necessária não é mais fabricada. O que faço então? Devo agora insistir ou até brigar com quem de direito por um novo aparelho ou reembolso do dinheiro (detalhe, o valor hoje é diferente do que paguei a uns sete meses atrás). Toda uma coisa extremamente aborrecida, para a qual não tenho aptidão. Se tivesse grana mandava tudo isto à merda e comprava um novo, afinal, hoje em dia não fabricam mais as coisas para durarem mesmo.
Daqui a pouco vou lá na loja perder um tempo que não tenho, conversar com o gerente e exigir uma providencia. Se não derem um jeito vou ao Procon. Mas isso tudo é muito chato, sabem.


Well, agora que o alerta foi dado, vamos ao desenho de hoje: é comum um artista ter seu caderno de esboços, no meu caso são pequenos bloquinhos de desenhos em que faço rabiscos diretamente na caneta, totalmente sem planejamento, ou seja, não penso no que vou desenhar, dou o primeiro traço e o resto vou completando sem pensar. Tenho vários destes caderninhos desenhados, coisas que ninguém normalmente vê ou sabe que existe. Levo aonde vou, geralmente a lugares onde sei que vou estar esperando alguma coisa por um bom tempo. Antes eu desenhava alguém ou alguma coisa pitoresca que estivesse à minha vista, mas depois parei, seria comum demais, resolvi relaxar a mente sem a preocupação com proporção ou estética e botar literalmente os monstros pra fora.

Bom final de semana a todos.  

6 comentários:

  1. Fala, Eduardo! Já desconfiava dessa tal garantia estendida.Agora então...
    Os caderninhos são indispensáveis mesmo. Os seus devem estar cheios de coisas incríveis. Junta tudo e publica. Aposto que têm mercado.
    Abração e ótimo final de semana,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Gilberto, obrigado pelo comentário.
      Sabe, seria muito bom mesmo se houvesse mercado para estes meus rabiscos descompromissados, mas cá pra nós, eu tenho minhas dúvidas, li esta semana que o Alex Ross e o Bill Sienkiewicz lançarão na ComicCon de San Diego deste ano seus livros de esboços.Certamente se esgotarão, assim como alguns fodinhas brasileiros, se lançarem, será a mesma coisa. Não creio ser o meu caso. Pra você ter uma ideia, eu anunciei no Face a venda de alguns exemplares do Zé Gatão com sketch e tudo mais. Oito pessoas entraram em contato - somente oito - e apenas três compraram de fato. Não quer dizer que eu não tenha meu valor, apenas que não sou o artista mais popular do mundo. Nem me meto a entrar nesta do Catarse para publicar meus trabalhos, não iria rolar, e não me sinto confortável com a ideia, pra mim é um pouco como pedir grana de porta em porta. Mas não critico quem o faça, apenas é uma postura minha. Este negócio de vender sketchbook lá fora virou moda já faz um tempo, tem cara que arma uma dessas só para vender em convenções, não são de fato esboços saído da alma. No meu caso estes desenhos são bastante pessoais e doidinhos, acho que só fazem sentido pra mim mesmo. Alguns vão aparecer por aqui. Mas publica-los não é uma ideia descartada, vamos ver se meus horizontes se alargam, quem sabe? Falei demais, hein! Sorry.
      Abração.

      Excluir
  2. Que merda cara! Muito obrigado pelo conselho! Nunca pagarei esta tal de garantia estendida!

    Caramba, essa ilustra ficou boa demais! o-----o
    ainda mais porque você não apagou! O-----o

    abraço

    ResponderExcluir
  3. É, Matheus, o negócio é se informar bem numa situação destas, desconfiar quando a coisa parece vantajosa demais, não busquei as informações detalhadas e deu no que deu. Fique de olho aberto.

    Estes meu desenhos são umas particularidades minhas, coisas sem muita importância, apenas devaneios da mente.

    Valeu, buddy.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Schloesser! Mesmo que você não tivesse comprado a garantia estendida, a loja teria que resolver o problema porque o produto ainda está no prazo da garantia básica. Se não resolver, Procon nela. Mas vai resolver sim. Vai te dar outro ventilador igual ou melhor com mais três meses de garantia básica. A garantia estendida, pela qual você já pagou, deve ser transferida pro ventilador novo. Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Obrigado, Carla.
    Desde o dia em que postei este texto, tentei levar o ventilador na assistência autorizada e não consegui. Tive uns assuntos mais urgentes para resolver. Mas acho que quarta feira estarei resolvendo isto, o resultado da ação será postado aqui.
    Abração e valeu a força.

    ResponderExcluir