Total de visualizações de página

quarta-feira, 9 de junho de 2010

ARABIAN NIGHTS (INÉDITA)

Olá amigos e amigas, espero que esteja tudo em paz com vocês. Eu continuo sem internet, mas como dizem, o show não pode parar, e eu tento atualizar o blog como as condições permitem.
Se não estou errado, no pífio mercado (quitanda é um termo melhor) de quadrinhos brasileiros, os únicos gêneros que deram certo por um tempo foram as hqs eróticas e de terror. Com certeza tem gente mais capacitada que eu pra discorrer sobre este assunto, portanto, sem mais delongas, vamos ao comentário sobre as artes de hoje. Vão aí algumas páginas de "Noites Àrabes", foi uma estória que criei em 2003 e não foi publicada. Até hoje não sei direito o porque, fui informado que esses títulos vendiam bem. Cheguei a publicar algumas hqs pornô com bom retorno, inclusive de grana. As que sairam, pretendo colocar algumas imagens aqui posteriormente.
Sempre procurei uma abordagem diferente nos quadrinhos que crio, algo que reflita um pouco o modo como eu sinto as coisa ao meu redor. Os quadrinhos pornôs tendem na maioria das vezes escambar para a mesmice ou paródia. Não tem que ser assim. Dá pra fazer algo sério e com bom roteiro. Pelo menos eu tento. Esta aqui foi um tipo "mil e uma noites". Usei lápis sépia. Deu um trabalhão danado. Tem um final inesperado, pena que não foi publicada. Mas nunca é tarde. Desculpem, mas tive que censurar a página dois pra não ter problemas com os mais sensíveis. Fiquem bem.

4 comentários:

  1. Impactante a página 4, em todos os sentidos. Um lindo trabalho

    ResponderExcluir
  2. Obrigado.Esta hq não é lá grande coisa,mas pelo menos tentei fugir do lugar comum tão típico em estorias deste gênero.
    Abraçao.

    ResponderExcluir
  3. Grande Eduardo - Então, cara, o que mais me impressiona é que REALMENTE dá pra ver, com toda clareza, que o artista da história se esforçou pra fugir do lugar-comum.

    Isso não tem preço, por que mesmo que seja uma história pornô (que, no fim das contas, tem que entregar o queo leitor quer, ou seja, sexo explícito), ela pode ser algo mais que só uma história pornô. Me lembrou do esmero com que caras como o Serpieri, por exemplo, fazem o seu trabalho.

    Abração,
    J.

    ResponderExcluir
  4. Pois é, pra que desperdiçar tempo e material com coisas que o Zéfiro já fez a trilhões de anos,não é mesmo? Existem mais algumas coisas sobre este período que pretendo postar brevemente.Fique ligado.
    Obrigado e um abraço.

    ResponderExcluir