Total de visualizações de página

terça-feira, 6 de julho de 2010

CLARA DOS ANJOS (CAPA).

Segundo descrição do próprio Lima Barreto, Clara era um misto exato de seu pai e sua mãe. O genitor tinha a tez clara, nariz quase amassado no rosto, queixo largo e cabelo encarapinhado. A mãe embora tivesse feições regulares e cabelos lisos, tinha a pele bem morena. Clara dos Anjos era uma mulata de 17 anos, cheia de sonhos provocados pelas modinhas sempre presentes em seu ambiente familiar, tornando-se assim, presa fácil de um sujeitinho cafajeste e homicida. É um conto longo travestido de crítica social brilhantemente escrito.


Nesta aquarela, tentei dar ao rosto de Clara, as caracteristicas sugeridas pelo autor, segundo a minha visão, nem feia, nem bonita, apenas acentuando em seu olhar a angústia e tristeza provocadas  pelo seu funesto destino. Como sempre incluo alguns simbolismos, seja nas cores ou em algum elemento que faça parte do cenário.

4 comentários:

  1. Obrigado. Sabe,muitas vezes fico em dúvida com relação a certas pinturas, se consegui transmitir algo da emoção desejada ou não.Esta foi uma delas. A sombra de Cassi Jones projetada na parede como um fantasma que persegue a pobre Clara... bem,este é um pormenor que só será percebido por aquele que ler a obra.
    Abração.

    ResponderExcluir
  2. Perfeito. Pesquiso a obra CLara dos anjos e me identifiquei com sua arte, e percebi q vc conseguiu transpor a ela a emoção que Lima transpos a literatura.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado, Juliana, é com o reconhecimento como o seu que me sinto impulsionado a continuar produzindo. Sei que soa clichê, mas é a mais pura verdade.
    Abraços.

    ResponderExcluir