Total de visualizações de página

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

PAUSA PARA UM CHARUTO E ALGUMAS REFLEXÕES.

Esta semana na verdade nem era pra eu fazer postagens mais longas, me atrasei (como sempre) com alguns trabalhos e agora terei que recuperar o tempo perdido (como se fosse possível) se quiser receber dentro de um  prazo pra eu não ter que enfiar o pé na lama de novo. Só que mais uma vez me dou conta que não estou mais com 30, 40 anos, tenho me cansado rápido, no momento minha mão direita clama por água com gelo e uma gostosa massagem, se volto à prancheta agora (e eu precisava muito) a qualidade do traço fica comprometida. Descansar é preciso. Tem também o desgaste mental, daí o porque de me ausentar daqui um pouco, mas na semana passada ocorreu algo que me fez pensar (sim, por incrível que pareça, eu penso!) e uma ideia ficou na minha cabeça como uma torneira que pinga no silencio da escuridão. VIREI VERBETE DE ENCICLOPÉDIA.

Fui a uma consulta na sexta última e aproveitei pra ir ao shopping resolver umas coisas, pra não perder o costume eu entrei numa livraria pra dar uma olhada nas novidades. Agora é comum as grandes livrarias terem um espaço dedicado aos quadrinhos, então passei uma vista d´olhos pelos títulos e na seção de lançamentos me deparei com A ENCICLOPÉDIA DOS QUADRINHOS, da autoria do Goida e do André Kleinert . O Goida na verdade já tinha lançado uma edição da Enciclopédia dos Quadrinhos no início dos anos 90, mas era algo mais modesto. Esta nova edição está bem ampliada, com mais verbetes (grande parte deles de autores nacionais), mais informações e ilustrações e tal.
O livro é encorpado, bonito de se ver, como tinha pressa só dei uma folheada; claro que fui direto na letra "S", e foi uma surpresa encontrar o meu nome ali, por que na real, eu me considero um autor de HQs que ainda não conseguiu sair do underground, do esqueminha alternativo, enfim não sou um quadrinista popular ou se você prefere, não sou do primeiro time (e nem do segundo), daí é lisonjeiro que alguém tenha lembrado que eu existo.
Dei uma lida na informação e saí de lá bem satisfeito. Verdade, todos queremos ser citados, ninguém está imune a isso, pode ser o Bukowski, o Poe, o Lovecraft. Na verdade passamos a vida buscando a aceitação. Tem o fator vaidade claro, mas o que me interessa hoje quando vejo algo assim é, no que isso pode me ajudar a dar um passo além? Nada talvez, aí então o que sobra é apenas aquele orgulhinho besta de ser citado num livro.

Mas o que me levou a escrever sobre isto, além de me exibir, foi que fiquei ruminando o texto da enciclopédia. Ali falava, lógico, do Zé Gatão, que com um único álbum eu, blá blá blá... sim, citava também  meus álbuns de anatomia. "Um único álbum?" Existem pessoas que só conhecem o primeiro gibi do Zé Gatão, e tem pessoas que só ouviram falar daquele que saiu pela Via Lettera. E pelo visto pouquíssimos sabem que saiu o terceiro pela PADA e o quarto pela DEVIR. Boa parte dos que me que me conhecem nunca viram os quadrinhos eróticos que fiz no início do novo milênio. E porquê? Simples, alguns trabalhos não são divulgados adequadamente, outros são alardeados a exaustão.
Certa vez eu e o Arthur Garcia conversávamos sobre isto. HQ nacional não vende, diziam; sim, não vende naturalmente porque não existe propaganda do produto. Ah, mas o Maurício de Souza tem mais saída que Homem-Aranha e X-Men juntos. Óbvio, porque dos produtos dele todos falam a respeito.
O que levou as Spice Girls fazerem tanto sucesso naquele período? Não quero aqui discutir modismo ou qualidade musical, só lembrar que a difusão em cima das garotas foi maciça.

O Goida e o André Kleinart, com certeza nem sabem que existem mais HQs minhas por aí. Divulgação e distribuição ainda continua sendo um problema pra mim. Com isto não estou dizendo que meus editores não fizeram um bom serviço, eles querem vender, talvez os jornalistas especializados se esqueçam ou não deem bola, sei lá. A esta altura do campeonato já nem interessa mais pra ser sincero. Como já disse aqui, fiz a minha parte.

Para quem se interessar por mais informações sobre esta publicação seguem aí um link com uma entrevista legal com o Goida:
http://www.lpm-editores.com.br/site/default.asp?TroncoID=805133&SecaoID=500709&SubsecaoID=0&Template=../artigosnoticias/user_exibir.asp&ID=527221

Beijos a todos.

2 comentários:

  1. You were never an artist second tier. Just not enough to get into this fucking world. But one thing is certain to you-those who love your art they do it with heart and remain faithful to you

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. His words are always very kind, Mira and I thank you with all my heart.

      Excluir