Total de visualizações de página

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O AMIGO DA VIZINHANÇA.

Foi uma noite longa esta que passou.
Horrível.
Uma forte dor de garganta que não me deixou dormir. Cochilei quando o dia estava entrando tímido pela fresta da cortina. Depois devo ter apagado de vez, pois nem vi quando a Verônica se levantou, se vestiu e saiu pra me comprar medicação. Tenho a melhor mulher do mundo. As vezes ela me trata como se eu tivesse dez anos (minha idade mental). Tem vezes que é bom, tem vezes que não é. Normal.
Liguei para o meu irmão em São Paulo (legal ter médico na familia, faz a gente se sentir mais calmo). Ele prescreveu o que é de praxe e agora me sinto bem melhor, salvo pelo corpo pesado por não haver conseguido dormir. Pô, tanta frescura por causa de uma dor de garganta? Pensariam vocês. É meus caros, não me acostumo ficar doente. Não posso e não consigo estar limitado.
A um tempo atrás criei uma arte de capa pra uma edição de um herói das antigas. Ontem soube que foi recusada. Ok. Só não entendi porque me pediram pra não comentar sobre o assunto. Tudo bem, por isto omitirei que herói era.
E falando nisto, este Homem-Aranha, para mim, ao lado do Batman é um dos meus melhores trabalhos. Óleo sobre tela, mede 70 x 50. Fotografada com câmera digital. A imagem não faz justiça à arte original infelizmente. Gosto dela não pela técnica em si, mas pelo tom surreal que ela evoca. O aracnídeo refletido num prédio espelhado multiplicando os seus membros. Sei lá, foi a idéia que me veio e me pareceu legal a época.
Curtia demais os gibis do Aranha da Ebal. O desenho era do inimitável Steve Ditko. Um herói com problemas bem reais. A fase Romita também é insuperável. Eh, bons tempos!
Esta pintura faz parte do meu portfólio de super-heróis. Acho que já comentei aqui que quase ninguém viu estas artes antes, não foi? Pois é, mas o pessoal da redação da revista Playboy veio em peso admirar estas pinturas. Elogiaram muito, tiraram xerox e guardaram num envelope. E lá ficaram, pelo visto, até que alguém muitos anos depois tenha posto no lixo, pois nunca entraram em contato pra pedir alguma ilustração. O lugar era bacana, haviam originais fantásticos emoldurados nas paredes. Tinha um do Benício que era de matar de inveja. Um outro do Mike Tyson (não identifiquei o autor) também de tirar o fôlego.
O Eduardo Jardim, um artista dos bons, me falou que eu devia insistir com eles, ir lá todas as semanas. Provavelmente ele estava certo. Acho que este é meu problema, se for pela insistência, nunca farei sucesso. Não sei ser impertinente, e estou ciente de que é necessário as vezes. Tenho uma teoria de que pra ter êxito na vida não é necessário ter talento, mas uma baita CARA-DE-PAU. Senão, vejam a maioria das pessoas que brilham no cenário artístico atual. São atores, apresentadores, animadores de auditório, cantores, desenhistas, pintores, todos péssimos, mas que tem fama e grana enganando os outros e a si próprios. Triste mundo este de hoje, tanta tecnologia e informação e a burrice continua invencível. Há mais do que nunca uma total inversão de valores. O que é certo é errado, o que é bom é mal e vice versa. E assim vamos todos caminhando em direção àquele imenso moedor de carne, para o final inevitável. Mas enquanto ele não chega, agradeçamos ao Deus Bendito pelo pão de hoje, nossos familiares, amigos e tudo mais de positivo que possa nos trazer o dia.
É bom estar com vocês de novo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário